domingo, 4 de dezembro de 2016

A metanóia e a paranóia



João Batista pregava o reino de Deus, ou os castigos de Deus? É o que nos podemos perguntar comparando muitas afirmações de João Batista com o conjunto da pregação de Jesus. Para inicio de conversa podemos dizer que, aos poucos houve entre os discípulos de João e os discípulos de Jesus, sobretudo depois da morte de Jesus, uma certa rivalidade.

Em João Batista, a sua mensagem e a prática de sua vida estão intimamente ligadas entre si. O Novo Testamento guarda lembranças de seu batizar, de seu modo de vestir e de se alimentar, e de nada possuir, e dos lugares por onde andou. 

E uma pergunta surge: Como os contemporâneos o viam e interpretavam? Sabemos que ele preferia o deserto aos lugares habitados. O “deserto” é o lugar do futuro esperado, do escatológico novo início e da conversão. 

Isso por si já mostra uma opção de espiritualidade: não a espiritualidade do templo e da cidade. Ele não tem propriedade, não trabalha para seu sustento, como Jesus, vive do que encontra no campo. Veste igual os profetas antigos. 

Isto significa que ele vivia exclusivamente na base de uma expectativa do futuro, deixa o passado e o presente do jeito que são, largando tudo para trás para viver somente em função do futuro. 

Quando ele tem a coragem de dizer: “raça de cobras venenosas...produzi frutos que provem a vossa conversão...o machado já está posto na raiz da árvore...” para ele o futuro é a ira de Deus e de seu inexorável julgamento. Digamos de passagem que essa mensagem não era novidade em Israel, fazia parte da visão tradicional judaica, porém não estava muito viva na época de Jesus.

Porquê raça de cobras? Notemos que os judeus comparavam os pagãos a animais.  Então João Batista nessa expressão comparava também os judeus não convertidos aos mesmos animais que eles diziam ser os pagãos, vale dizer, também pagãos iguais aos outros. Por isso o julgamento divino que eles diziam que cairia sobre os pagãos cairia também sobre eles. Portanto, só os frutos produzidos, as “boas obras” deles poderiam afastar os castigos divinos.

Fica claro que João não anunciava um evangelho da boa nova, mas um evangelho de castigos. Ele é considerado um profeta de calamidades que ameaçava com o juízo divino já se aproximando.

Tanto sua mensagem como seu modo de viver exprimem isso. E veja bem, no ambiente apocalíptico que ele vivia, o fim dos tempos (do mundo) estava próximo, “ machado está na raiz da árvore, a peneira, o fogo...” (Mt. 3, 7).

Este ataque frontal objetivado por João é contra a garantia automática da eleição de Israel, vale dizer, não basta se considerar judeu ou filho de Abraão para estar salvo. 

A mensagem de João é totalmente contra. Aliás, retomada por São Paulo quando fala que não é a circuncisão que salvará os judeus, mas aceitar e seguir Jesus Cristo.

No antigo profetismo, a ira e o fogo são as imagens apropriadas para o juízo divino que iria chegar. Para João, esse juízo aconteceria em breve. Só uma atitude estava ao seu alcance para se livrarem dos castigos divinos, a metanóia”. 

O que é a metanoia? É uma palavra aparentada com paranoia. Ambas dizem respeito à cabeça. Paranóia significa cabeça vazia;  metanóia signifca mudar a cabeça. 

É igual quando nós dizemos “ tire o cavalo da chuva”. Largue de pensar que está salvo só por ser um judeu, mas não tem os frutos das boas obras.


PROGRAMAÇÃO DOS SARCRAMENTOS
Batismos de adultos: 25/12, horário às 15.00h. Reunão: 04/12 às 15.00h

Comunhão solene: 25/12, horário às 10.00h. Confissão: dia 22 p/ pais e padrinhos; dia 23 para os comungantes o dia todo. Reunião, dia 22 e 23 às 17.00h

Profissão de Fé: 08/01, horário às 10.00h. Confissão: dia 05 e 06/01 às 08.00-11.00h e 15.00-17.00h. Reunião: 05 e 06/01 às 17.00h

Eucaristia p/ adultos: Dia 07/01, na missa das 20.00h. Confissão, dia 05 e 06 das 08.00 -11.00h e das 15.00 às 17.00

CONSAGRAÇÃO
Santo Antônio: 04/12, às 07.00h; Sant’Ana: 04/12, às 16.00h. S.Pedro: 07/12, às 19.00h. São Raimundo: 09/12, às 19.00h. São Francisco: 18/12, às 07.00h. Sta Teresinha: 18/12, às 09.00h. NªSª das Dores: Maio...

PRIMEIRA COMUNHÃO:
S.Francisco: 23/04, às 07.00h. Confissão: 22/04, às 08-11.00h e 15-17.00h

Sant’Ana: 07/05, às 16.00h. Confissão: 06/05, das 15-17.00h

São Raimundo: 12/05, às 19.00h. Confissão: 12/05, às 08-11h e das 15.-17.00h.

S. Antônio: 14/05, às 07.00h. Confissão: 13/05, das 08-11.00h

São Pedro: 17/05, às 19.00h. Confissão: Das 08.-11.00h e das 15.-17.00h

Sta Teresinha: 21/05, às 09.00h. Confissão: 20/05, das 08.-11.00h

N.S. do Bom Parto: 04/06, às 09.00h. Confissão: 08-11.00h

NªSª das Dores: 11/06, às 10.00h. Confissão: 08.-11.00h e 15-17.00h

          Noticiário  

1)- Hoje tem 2ª Rito dos batismos de adultos, às 15.00h

2)- Dia 06, 3ªfª, Reunião dos colegiados, às 19.30h

3)- Dia 08 é o festejo de NªSª da Conceição, na comunidade Terras Duras, de Cristo Rei. Hoje é já a 6ª noite da Novena. Participe

4)- No dia 08 inicia o festejo de NªSª do Bom Parto, na comunidade da Tigela, com o hasteamento da Bandeira às 16.00h. O encerramento do festejo é no dia 18, domingo, com a missa às 09.00h e à tarde a procissão e o bingo.

05)- Ontem foi o hasteamento da bandeira da Sta Luzia, no bairro de Santa Luzia
Como vão subindo as paredes da nova igreja de S.Francisco

A nova capela da Comunidade do Brejo do Meio

Como vão subindo as paredes da nova igreja de S.Francisco, do Bairro da Cruz



sábado, 26 de novembro de 2016

Celebração do Jubileu de 50 anos das CEBs na diocese de Brejo



Celebrar o Jubileu de 50 anos das CEBs quer dizer 50 anos de vida das paróquias da diocese de Brejo. O que era, como foi e como está sendo agora.

Temos que enfocar os aspectos históricos, sócio- políticos e religiosos. Passou-se da época dos coronéis (fazendeiros) para a época do agronegócio. E no aspecto religioso passou-se de uma religião intimista e individualista para uma fé transformadora das realidades sofredoras das grandes maiorias.

A Igreja foi deixando devagarinho essa fé individualista e assumindo aquilo que o Concílio Vaticano anunciou “aprouve a Deus salvar o ser humano não individualisticamente, mas em comunidade” (E.N. nº9).

Na época de 1970 tínhamos herdado duas vertentes da mesma herança: a herança escravocrata abolida em 1888 oficialmente mas continuada na prática nas fazendas do Maranhão. E a outra herança da ditadura militar que deixou as marcas e continuava impondo a ideologia do medo nas populações pobres para continuarem se sujeitando aos ricos e políticos e à sua ditadura.

Na época, os donos de terras usavam o braço do cabouco como máquina de enriquecimento. E como máquinas tratavam os moradores de suas terras, que não tinham nenhum direito, só o direito de obedecê-los e servi-los como seus únicos donos, com direito a prisão pela menor desobediência. Na realidade, a nação pouco contava, os fazendeiros eram a nação, a lei, o juiz e o tribunal. Na época tinha até fazendeiros que diziam “eu sou federal”.

Num ambiente assim, o medo era o combustível para manter o carro da história, e perpetuar o poder dos fazendeiros e coronéis. E ao mesmo tempo perpetuar a ignorância e a sujeição do povo. Alguma ou outra escola que tinha era na cozinha da professora. E esta era trazida diretamente da cidade pelo fazendeiro, e quando não servia mais aos seus interesses era logo despachada.

Em frente a esta situação começou um fermento como coisa pequenina e escondida no meio da massa fazendo a transformação. Foram as Comunidades Eclesiais de Base (CEBs), tanto no interior como na cidade. Justo, há 50 anos, em 1966 no norte do Maranhão, nas cidades de Tutóia e Barreirinhas. 

O povo começou a despertar na sua fé e nos seus direitos de cidadania. O nosso bispo dom Valdeci nestes dias assistiu uma celebração em Tabocas (Barreirinha) onde estava uma senhora dessa época e contou como naquela época começaram a viver unidos em comunidade: faziam roça comunitária para sobreviver em tempos de dívidas ao patrão, para fazer viagens, comprar Bíblias, e levantar a capela. 

Esse fermento foi se espalhando pelas outras paróquias. E há 46 anos (em 1970), chegou também em Chapadinha.

Um comerciante ambulante pelo interior que vendia remédios começou levando Bíblias nas suas bolsas para vender e dizia: Meus irmãos, está aqui um produto novo. É a Bíblia. E começou juntando o povo nos dias de domingo, lendo e explicando a Bíblia, e deixando assim  esse costume pelos povoados. Era o senhor Sebastião Alves.

Não demorou a reação dos fazendeiros, que viam nessa união e nas mensagens da Bíblia uma ameaça ao seu poderio. Começaram mandando para a cadeia os organizadores dessas comunidades que começavam surgindo. E como diz o ditado, quanto mais bate mais frutos dá, e as comunidades foram aumentando. 

Paróquia, entidades de direitos humanos, organismos criados pela CNBB como CPT, Caritas, juntos faziam a defesa e acolhimento das causas que iam surgindo. Passados 50 anos, de entre muitos espinhos brotaram os jardins de mais de 108 Comunidades , 54 na paróquia de NªSª das Dores e 54 na paróquia de Cristo Rei no município de Chapadinha.

Pouco a pouco, o católico foi entendendo que “ a vida só se ganha na doação” (Diretrizes da Igreja no Brasil, n.11). E que “o discípulo missionário encontra na atitude de alteridade e gratuidade as marcas que configuram a sua vida à de Jesus Cristo”. (Leigos e Leigas na sociedade e na Igreja, 11).

A abertura ao outro não é “um opcional”, mas uma condição necessária para a realização do ser humano” (Evangelho da alegria, 2).


O povo das comunidades foi aprendendo que era preciso rejeitar a tradição de uma religião individualista e intimista que pensava honrar a Deus pisando nos direitos dos irmãos. 

E aprendeu que a missão é assumir ao mesmo tempo os compromissos sócio-políticos transformadores das realidades sofredoras dos mais pobres (Cristãos leigos e leigas no Brasil, n.112)

                    NOTICIÁRIO


1)- Domingo passado foi o encerramento do Jubileu do ano santo da misericórdia. Nós da Paróquia de NªSª das Dores fomos em caminhada às seis da manhã para participar da missa das 07.00h do festejo da paróquia de Cristo Rei, fazendo esse sinal como encerramento do Jubileu.

2)- No dia 21 tivemos a reunião do clero da diocese, onde fomos informados pelo senhor bispo que após o Ano da Misericórdia celebraremos neste ano O ANO MARIANO, em comemoração aos 300 anos do encontro da imagem de NªSª Aparecida nas águas do rio Paraíba. Durante este ano a imagem da Aparecida percorrerá as dioceses do Brasil e paróquias. Na diocese de Brejo será no mês de MAIO, que bênção!


25-26/11 – Celebração do Jubileu de 50 anos das CEBs na diocese de Brejo. Dia 25 150 participantes de todas as paróquias estiveram reunidos num seminário lá em Brejo. E no dia 26 ocorreu a grande romaria de todas as paróquias, com mais de 3 mil participantes, encerrando com a grande missa na praça em frente da catedral. Também tinha 02 representantes de todas as dioceses do Maranhão.

4)- Os ministros da Eucaristia teremos reunião na 1ª sexta feira de dezembro, dia 02/12.

5)- Os colegiados no dia 06/12, a primeira terça feira.

6)- Ontem, último sábado foi o Encontrão da P. Familiar assessorado pela Ir. Antônia Elda, do Instituto Farina, sobre a Alegria do Evangelho.

7)- A PJ comemorou nesta semana, de 25 a 27 o DNJ, com variado programa. Hoje, neste domingo tem Show de calouros após a santa Missa das 20.00h, na praça do estacionamento Contamos com sua presença.

8)- A igreja de São Francisco do Bairro da Cruz já vai quase no meio das paredes. Você que quer colaborar deixe sua oferta para a nova igreja na Secretaria paroquial.

9)- PROGRAMAÇÃO DO NATAL: Missa do galo às 22.00h (10 da noite), com o CORAL NªSª DAS DORES; Missas do dia de Natal: 08.00h e 10.00h, e 20.00h;  Casamentos: depois da missa das 08.00h; Batizados dos Catequizandos: dia de Natal às 15.00h; Batismos de crianças: 17.00h; Comunhão Solene: na missa das 10.00h; Confissões dos pais e padrinhos: dia 22. Confissão da Comunhão solene: dia 23. Reunião: dia 22 e 23 às 17.30h

Desde os fundamentos, o nova igreja de São Francisco co Bairro da Cruz vai subindo




sábado, 19 de novembro de 2016

O rei Jesus, o rei Pelé, e nós



No final da Copa de 1958, ao receber os cumprimentos do rei Gustav da Suécia, Pelé colocou a mão no ombro do rei. Os comentaristas esportivos num primeiro momento, escandalizaram-se com a quebra do protocolo pois, ninguém podia tocar o rei. Logo em seguida, concluem: “Não faz mal! Hoje ele é o rei!” A  partir de então, Pelé passou a ser chamado rei do futebol.

Com o título de rei, quantos meninos e jovens, e não só, o ei Pelé já levou a uma transformação, levando os a uma paixão pelo futebol?

Justamente, o Papa Pio XI instituiu a solenidade de Cristo Rei para incentivar os cristãos a fazer da presença de Cristo no mundo uma força de transformação.

O objetivo é trazer ao nosso mundo o reinado de Deus com os critérios de Jesus Cristo seguindo aquele refrão do P.Zezinho: "Amar como Jesus amou, pensar como Jesus pensou”

O que implica amar como Jesus amou? Implica ter aquele coração grande onde cabem todos os seres humanos de qualquer condição e sem preconceitos. Amar e servir. Fazer-se o último no lugar dos últimos.

Implica colocar Jesus no meu lugar. Se Jesus fosse um filho (e foi), como amaria os pais e irmãos? Se Jesus namorasse como seria o trato com a namorada? Se Jesus fosse casado como seria o trato com a sua mulher? Se Jesus fosse um patrão como seria o trato com os funcionários? Se fosse um prefeito de uma cidade? Um vereador, um...um...?

E o que implica pensar como Jesus pensou? Como Jesus pensava de mim e de ti? O que pensava dele mesmo? O que pensava dos pecadores? E dos justos? O que pensava dos filhos? E das filhas? E dos pais? E dos patrões? E dos funcionários? E das crianças? E dos pobres? E dos ricos? E dos políticos?

Temos todos uma tarefa, nós que aceitamos Jesus como nosso salvador: amar como Jesus amava, pensar como Jesus pensava.

Deste jeito seremos também o rosto divino do homem e o rosto humano de Deus. Quem via Jesus via nele o rosto divino do homem. Assim, quem vir a mim e a ti deverão ver também o rosto divino do homem, gravado em mim e em ti.

Quem via Jesus via o rosto humano de Deus. Também assim deverão ver em mim e em ti o rosto humano de Deus, Deus com rosto humano.

Foi assim que Jesus disse  a um criminoso arrependido que estava morrendo ao seu lado: “Hoje estarás comigo no paraíso”. Hoje estarás comendo e bebendo em meu reino. É o último “hoje” tão presente nos lábios de Jesus. “ Hoje se cumpre esta palavra”; hoje devo me hospedar em tua casa”; “hoje a salvação entrou nesta casa”; “Hoje”, morrendo na cruz, Jesus toma posse do seu reinado. E os sofredores com o rosto sofrido igual ao de Jesus são os primeiros.

O reinado de Cristo, vale dizer, o rosto de Cristo há de chegar ao nosso mundo por meio das pequenas coisas de cada dia, escondidas, ignoradas, relegadas à humilhação do esquecimento, tal como a morte na cruz foi preparada pelas coisas pequenas de cada dia da vida de Jesus.

             NOTICIÁRIO

1)- Neste domingo, 20, dia de CRISTO REI, encerra o festejo da Paróquia de Cristo Rei, com a santa missa às 07.00h e 10.00h, e Procissão às 16.00h seguida de show de prêmios. Na matriz de N.S. das Dores só tem a missa das 10.00h e das 20.00h. Não tem a missa das 08.00h porque iremos da missa das 07.00 com caminhada saindo às 06.00h da igreja de NªSª das Dores como foi combinado no CPP. É assim também o nosso ato de encerramento do Ano da Misericórdia.

2)- Terça feira passada, 15, após  a tarde de formação sobre o Dízimo tivemos a notícia do acidente  ocorrido com o Padre Isaque da Paróquia de Água Doce de nossa diocese de Brejo. Fraturou a mão direita, e uma irmã dele fraturou a clavícula, e um dos ocupantes (Francisco da Paz) teve falecimento. Dona Gnu, secretária desta paróquia acolheu ela para banho e dormida na residência de sua mãe, vizinha ao hospital, e o sr. Pirrita, e Lindomar, Chico da Coab, Ana Lúcia e eu P.Casimiro procuramos estar sempre presentes. 

O sr. Bispo que estava numa reunião com os bispos da Amazônia adiantou a viagem de volta para cuidar também da situação. O padre foi completar os tratamentos em São Luís por conta do plano de saúde.

3)- Teve no dia 14 a reunião de formação de coordenadores dos grupos de jovens da paróquia de N.S das Dores. Como coordenadores paroquiais ficaram Washington Costa (comunidade  Santa Terezinha), e Diolanda Menezes (comunidade de São Pedro). Agradecemos aos assessores Bernardo e Manin.

4)- No dia 13 teve encontro diocesano da PJ na cidade do Brejo, e teve eleição da coordenação diocesana que ficou assim: 1º coordenador: Juninho (Chapadinha); 2º coord= Zé de Coelho Neto; 1ª sec=Dany, de Tutoia; 2ª sec= Marcos, de S.Quitéria; 1º tesoureiro= Gildemar, de Buriti; 2º tes= Ezequiel (U.Santos).

5)- Nesta 6ªfeira, 25 inicia o Jubileu dos 50 anos das CEBs de nossa diocese de Brejo, com um Seminário para fazer a memória histórica destes 50 anos de vida da Diocese. Horário: às 08.30 da manhã, encerrando no dia 26 com Caminhada e grande Celebração eucarística na Catedral com os romeiros de todas as paróquia da diocese. De cada paróquia, neste sábado seguirão para a diocese 5 ou seis ônibus para o evento, juntando-se aos participantes do Seminário. É momento especial e histórico dos avanços, lutas e vitórias destes 50 anos de vida Paróquias de toda a diocese.


Transcrevemos a CONVOCATÓRIA do nosso bispo diocesano dom Valdeci:
Diocese de Brejo (MA), 09 de novembro de 2016
Caríssimos padres, religiosos, religiosas, leigos e leigas:
É com grande alegria que estamos celebrando 50 de anos das Comunidades Eclesiais de Base na nossa Diocese e em todo o Maranhão. As CEBs é esta marca profunda de comunhão, solidariedade, partilha e profetismo que nos ajuda a caminhar com um olho na Bíblia e outro na realidade. As CEBs, “Inspirando-se nos ensinamentos do Concílio, tornaram-se instrumentos da construção do reino e concretização das esperanças de nosso povo” (doc. 25 CNBB).
O Jubileu dos 50 anos das CEbs traz como Tema: CEBs 50 anos de caminhada, lutas e esperança à serviço da vida e como Lema: “Eu te louvo Pai Senhor do céu e da terra, porque escondestes estas coisas aos sábios e entendidos e as revelastes aos pequeninos”( Lc 10,21). Com esta motivação convidamos todos e todas para este grande acontecimento em nossa Igreja.
Programação
Dia 25 a 26 de novembro. Dia 25 às 8:30 até dia 26 ao meio dia teremos a realização do nosso seminário sobre a caminhada das Ceb’s. Na parte da tarde do dia 26 será a Romaria das Ceb’s com a concentração a partir das 15:00 na Comunidade Santa Clara no Bairro Guanabara encerrando com a celebração Eucarística na Igreja Catedral.
Local: Centro de Formação Antigo Seminário- Brejo
Assessores: João Maria e Marta Bispo
Tema: CEBs 50 anos de caminhada, lutas e esperança a serviço da vida.
Contribuição: R$ 15,00 por pessoa e mais uma colaboração de alimentos não perecíveis ou em espécie.
Nº de participantes: 5 pessoa por Paróquia e Área Pastoral.
Obs: trazer Bíblia, caneta caderno, rede e cordas e muita disposição para participar do seminário.
Para Romaria de sábado a tarde convidamos todos e todas que poderem chegar a partir das 15:00 na Comunidade Guanabara.
“gente simples, fazendo coisas pequenas, em grandes lugares pouco importantes conseguem mudanças extraordinárias” (provérbio africano).
                              Com as bênçãos do Deus misericordioso
                Dom José Valdeci Santos Mendes (bispo diocesano)

As paredes da igreja de São Francisco do Bairro da Cruz estão saindo do chão. Veja fotos:










sábado, 12 de novembro de 2016

Movimentos apocalípticos e messiânicos são comuns em alguns momentos da história dos povos




Na história do povo de Israel paulatinamente foi se desenvolvendo a seguinte convicção: o profeta é o pregador da penitência e conversão, e de obediência à lei de Deus. Quando essa convocação profética não é atendida, ameaça-se com o arrasador julgamento de Deus.

Historicamente falando, a apocalíptica era uma corrente espiritual generalizada no Oriente antigo; a judaica era apenas uma variante, sem dúvida a mais expressiva. E a partir do ano 70 a literatura apocalíptica tornou-se uma leitura muito procurada, para fortalecer a fé em Cristo em momentos cruciais.

O que é apocalíptica? Quem é o apocalíptico? Ela não se considera profeta, mas intérprete dos profetas antigos. Muitas vezes, para legitimar suas mensagem lança mão de um pseudônimo. Ele não é um pregador ou anunciador como os profetas, mas só usa a escrita. 

O conteúdo da apocalíptica caracteriza-se por constatações de infidelidades humanas sem esperança de melhoras significativas. O sofrimentos e todos os fracassos de todos os indivíduos e povos são irremediáveis, a tal ponto que levam a pensar que houve na origem da história humana uma queda no pecado qual bola de neve através da história (4 Esd, 4,30). Para nossa história humana não se pode mais esperar salvação. Só se pode esperar  uma repentina intervenção de Deus aniquilando radicalmente todo o mal humano. 

Um exemplo disso já existiu na antiga Índia, onde Shiwa, um deus da Índia destruiu o mundo corrompido, dançando sobre ele, a fim de construir por cima um novo céu e uma nova terra, ou seja uma situação nova semelhante à primeira criação do paraíso. Cita essa situação o livro de Esdras onde diz “o Altíssimo não criou uma só era, criou duas” (4 Esd, 7, 5).

É daí que vem a atitude da metanóia. A expectativa do fim de uma era e a espera de uma nova situação vêm juntas. Da Apocalíptica nasceu assim uma teologia ao seu jeito. Assim, por exemplo, nos últimos tempos a opressão será cada vez maior, ao invés de chegar efetivamente esse reino definitivo. 

E a fundação do Reino de Deus será precedida de um tempo de medos crescentes, como os pais se levantando contra filhos, irmãos contra irmãos, mulheres grávidas sofrerão mais, etc. E o cosmo todo entrando nesse ritmo de abalo.

Surgiram também séries de números interpretativos, tirados inicialmente da antiga astrologia, como 12, sete, as 04 estações com suas chaves, 3 anos e meio a metade de sete, 12x7 igual a 84. Os últimos ais durarão, para Daniel, apenas três anos e meio, i.é, um tempo breve. (Dn7, 15).

Estamos vendo que semelhantes esperanças messiânicas apocalípticas não são um fenômeno isolado. Sociólogos das religiões voltaram sua atenção para esses fenômenos que periodicamente aparecem em todos os povos. 

Tais estudos mostram que em situações extremas de mal-estar social e político o surgimento de movimentos messiânicos radicais têm aparecido. Nesses movimentos messiânicos tem se descoberto um “padrão-basico” quase invariável, que eles chama o padrão messiânico. 

Esse padrão é resultado de situações sócio-políticas de impotência e perda de identidade, de ordem econômica. Esses movimentos sonham com algum mundo futuro radicalmente novo.

Surge então um desejo ardente e uma fantasia de imagens utópicas de uma vida de prosperidade e abundância, tanto espiritual como econômica. 

Além disso, semelhantes movimentos muitas vezes têm a figura de só mediador que cristaliza nele mesmo tudo o que o povo espera, e entra em cena como salvador, de quem se espera uma transformação total de grande prosperidade.

Não são alheios a este cenário movimentos que têm à frente figuras como Edir Macedo ou Valdemiro Santiago que concentram suas seitas na prosperidade e se propõem como modelos: Eu não prosperei? E você não pode?



NOTICIÁRIO



1)- A Paróquia de CRISTO REI está celebrando por primeira vez o primeiro festejo do Padroeiro. O Encerramento será no domingo, dia 20, dia de Cristo Rei. Também é o encerramento do ANO DA MISERICÓRDIA. Hoje é o 3º dia da Novena, com o Tema “Jesus Cristo e o seguimento” (Mt. 20, 29-34). Responsabilidade: Comunidade NªSª de Fátima e Sagrada Família e Pastoral Catequética. Participação: Comunidade de S.to Antônio, Grupo Boa Semente. Haverá Leilão.
Convidamos toda Paróquia de NªSª das Dores a participar no festejo da Paróquia vizinha e colaborar nas celebrações, noites culturais e bingos. Dia 11, 6ªfeira fomos em procissão com a imagem de N.S. das Dores, no sentido de que a Mãe visitou o Filho para o início da Novena. Do mesmo jeito que no 1º dia da Novena de N.S. das Dores os de lá vieram em procissão com o Cristo, o Filho visitando a Mãe.

Lembramos que a Paróquia de Cristo Rei está com o plano da construção da Casa Paroquial, e por isso precisam de muita colaboração de todos. Horários do dia 20 - CRISTO REI: 07.00h e 10.00h santa Missa; 16.00h procissão, e após a procissão Show de Prêmios. Participe.

2)- Hoje tem formação para os coordenadores dos grupos de Jovens da Paroquia de NªSª das Dores, da cidade e do interior, a começar das 08.00h da manhã, e se prolongará até às 15.00h. Local, no CBNET.

3)- Dia 14, 2ª haverá Encontrão dos Acólitos na cidade do Brejo.

4)- Dia 14, também, às 19.30h: Reunião da equipe alargada do BOTE FÉ, COM MARIA ANUNCIAI, para 2017. Todos receberam uma carta-convite. Desde já agradeço. Sua presença é muito importante.

5)- Dia 15, terça-feira haverá uma tarde de formação e organização do Dizimo, para as duas Paróquias em conjunto, de N.S. das Dores e Cristo Rei. Início: 13.30h. Local: CBNET. Assessor: Padre Adalberto Luiz, chanceler da Cúria diocesana, e CAEP. Encerramento: 18.00h. Pedimos a presença dos CAE de todas as Comunidades e equipes de dízimo, e onde ainda não existem é para começar a se formar essas equipes.

6)- Dia 20, próximo domingo haverá o 1º Rito para os Batismos do Natal. Horário: 15.00h.

7)- Dia 18 a 20 haverá no Brejo Assembleia da Pastoral da Criança8)- 21-23: Também no Brejo reunião da orientação vocacional (ROV).

8)- Lembro de novo às comunidades para fazer os pagamentos do Jornal da celebração e LITURGIA DIÁRIA, no Secretariado.

9)- Domingo passado encerrou a Assembleia diocesana de Pastoral no Brejo. O assessor falou do tema abrangente “ A alegria do Amor” o documento do Papa Francisco sobre a FAMÍLA. No final foram apresentadas avaliações e propostas das Paróquias para o ano 2017. Teremos ocasião de voltar a este assunto quando chegarem as conclusões em nossas mãos

10)-_ O seminarista Jerry Lima recebeu as ordens de Acolitado, em próxima preparação para avançar para a ordenação sacerdotal. Parabéns.
Jerry Lima com o sr. Bispo e  com Mardônio

Assembleia pastoral diocesana

Fundações da igreja de São Francisco no Bairro da Cruz, Os pilares

sábado, 5 de novembro de 2016

Somos criaturas que trazemos dentro de nós uma antiga poeira estelar



Está hoje muito evidente que os bonobos estão na raiz da evolução do ser humano. Era uma raça mais sociável dos primatas que nos transmitiram a maior parte do DNA atual humano, e isso é muito importante na dimensão e inclinações sexuais que permeiam todo o agir humano. 

Contrariamente ao que ao que afirmava Aristóteles, do qual até agora a humanidade ocidental recebeu a herança ideológica da definição biológica do sexo, as descobertas modernas dizem que para os bonobos o sexo era um modo de comportamento destinado a formar a formar vínculos mais voltados para a conciliação. E isso não depende, em grande medida, das distinções do sexo. Os bonobos eram basicamente bissexuais.

Entre os primatas, eles tinham esse comportamento mais conciliador. Eles dão a certeza histórica hoje de que não podemos mais presumir que o sexo era uma função basicamente voltada para a reprodução (Diarmuid O’Murchu). Pelo contrário, significava uma enorme capacidade de melhorar a qualidade de vida, coisa que ficou diluída para a nossa cultura biologicamente orientada deixando-nos com o fardo da dor e da confusão sexual que é característica do mundo moderno pós-romano.

Uma conclusão é que as tendências bissexuais, e homo e têm uma raiz histórica e evolutiva. Nosso mal é que nos limitamos a uma mínima história de 2.000 anos atrás, enquanto que esquecemos os tempos de milhões de anos que foram formando o nosso DNA. O nosso DNA humano não depende somente e muito menos dos 2.000 anos convencionais, mas de muitos mais anos profundos.

Essas limitações do tempo prejudicam gravemente não apenas o potencial dos próprios seres humanos, como também a nossa maneira de lidar com a criação.

Continuando nesta linha histórica, constatamos que nos tornamos bem mais humildes e autênticos quando vislumbramos que fazemos parte integrante do mistério cósmico e planetário a que pertencemos. Essa é a grande narrativa que nos moldou tanto quanto nós a moldamos, formando assim o processo evolucionário dentro do qual somos chamados a colaborar.

Somos criaturas que trazemos dentro de nós uma antiga poeira estelar e a sabedoria necessária para nos apropriarmos do potencial nutritivo da luz solar com o dom cósmico que ela confere a todo organismo vivo.

Porque assim? O legume que comemos traz todas as partículas da luz solar que por sua vez é uma irradiação e uma partícula da primeira explosão que é conservada em tamanho e distância proporcional da terra para que possa fabricar nossos alimentos. Cada átomo dos nossos alimentos participa dessa irradiação solar.

Da mesma forma, não só a poeira estelar física, mas a mesma poeira estelar dos organismos vivos que nos antecederam originaram hoje as galáxias dos DNAs humanos.

Esta semana celebramos o dia de Finados, e neste domingo o Dia de Todos os Santos. Vejamos, correlato a estas duas celebrações, da morte e da vida, dentro do processo morte-vida-renascimento, que até mesmo a noção da seleção natural utiliza a suposição de que cada mudança é indispensável, e a cada mudança abrem-se novos horizontes ampliados de entrosamento.


Neste dia de Todos os Santos é nos mostrado uma visão ou pintura do paraíso por São João. Vejamos outra visão não menos relevante de fé: “Na viagem de volta para casa, contemplando os 390 mil quilômetros de espaço na direção das estrelas e do planeta de onde eu viera, vivenciei de repente o universo como sendo inteligente, amoroso e harmonioso. A minha visão do planeta foi um vislumbre da divindade” (Edgard Mitchel, astronauta)

NOTICIÁRIO
1)-No dia 31 de Outubro faleceu a irmã do Padre Neves, senhora Maria da Conceição Neves.

2)- Reunião dos Colegiados: No dia 08, 3ªfeira, às 19.30h. Reunião de formação. Tome nota

3)- Dia 20/11 = 1º Rito dos batismos do Natal. E o 2º Rito no dia 04/12, horário às 15.00h

4)- Próximo domingo dia 13, dia de formação para coordenadores dos grupos da PJ da Paróquia de N.S. das Dores, local CBNET. Horário, 08.00h até 15.00h. Da cidade e do interior.

5)- Dia 15/11 tem uma tarde de formação para os CAE (Conselhos de assuntos econômicos) das comunidades dos Bairros. Assessor com presença confirmada, P.Adalberto Luiz, chanceler da Cúria e CAEP. Horário: 13.30h até 20.00h.

6)- Chegaram às nossas mãos mais 595,00 do leilão da SEMED da festa de N.S. das Dores, muito obrigado. E também 36,70 da com. NªSª do Bom Parto para o domingo missionário mundial, e 04,10 da comunidade da Santa Ana.

7)- Na assembleia diocesana da PASTORAL FAMILIAR realizada no Brejo no passado dia 19 foi eleito como casal coordenador diocesano o casal Heliodoro e Elizângela, de Chapadinha, junto com o casal Eduardo e esposa, do Brejo. Para eles bom trabalho.

8)- A com da Sag. Família (par. de Cristo Rei) tem o seguinte recado: “Agradeemos pelas caixas de som: Lorena Michele Melo Aguiar; Jaime Amorim; José Humberto da Santa Luzia; Ildegram, Casa dos Parafusos e Construmais; Itenir; Oziel; Heigum-Beto Autopeças.

9)- Realizou-se a ASSEMBLEIA DIOCESANA DE PASTORAL no Brejo nos dias 03 ao 06, onde participaram cinco membros de cada Paróquia, sendo que da Paróquia de N.S. das Dores participaram a senhora Sônia e Pirrita, Domingas Araújo, Nenzin e Costinha, Ana Lúcia, Cleonice e Heliodoro, da P.Familiar. Lá foi avaliado o trabalho pastoral do ano que está terminando, e feito planejamento para o próximo ano 2017. E foi estudado o Documento do Papa Francisco " A alegria do Amor", assessorados pelo P.Clemilton reitor do Seminário de São Luís. 

10)- Peço às Comunidades dos Bairros
tanto de N.S. das Dores como de Cristo
Rei que possam pagar urgente as
assinaturas do Jornal da Celebração e
LITURGIA DIARIA. Até agora só pagou
a Comunidade S.Raimundo da Corrente.
Esta semana já paguei a 2ª prestação:
9.625,00 +9.625,00= 19.250,00

( Veja fotos da Assembleia diocesana)