segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

PARÓQUIA DE CHAPADINHA - A MAIOR EDUCADORA DA HISTÓRIA


Augusto Cury tem um livro “ Maria, a maior educadora da História”, pela editora Sextante que enche de luz a vida e história de Maria de Nazaré.

Psicólogo de renome mundial, analisou a vida interior de Maria Mãe de Jesus, assim como analisou também Jesus por dentro com seu olhar de psicólogo. Basta ler os dois volumes “ Os segredos do Pai-Nosso” e “ A sabedoria nossa de cada dia”.

Algumas afirmações que eu vou recolher, a título de citações, vão em cima da celebração da festa da Sagrada Família no domingo depois do Natal.

Para manter o equilíbrio emocional precisamos duas ferramentas: a primeira ferramenta é “ não cobrar muito do outro”.

Jesus, especialista em se doar, e mais especialista ainda em não querer dos outros a mesma resposta esperava ser amado, mas não esperava ansiosamente o retorno. Entre desejar e esperar há um grande abismo.”

Segunda ferramenta: “Não esperar o retorno das pessoas no mesmo nível que nos doamos”.

Muitos montaram um departamento de cobrança em suas casas. São especialistas não em  se amar, mas em cobrar, e em exigir dos outros o que eles não podem dar.

“ Se há uma característica que deveria ser banida da cartilha dos educadores, ela chama-se impulsividade. Nos primeiros 30 segundos de ansiedade cometem-se os maiores erros de nossas vidas. As palavras que nunca deveríamos dizer e as atitudes que nuca deveríamos tomar são construídas nesses momentos e sem pensar.

Impulsivos, alguns pais corrigem ou punem seus filhos publicamente. Seus filhos erram “ um tanto”, e seus pais “ dez tantos”.

“ O excelente educador é o que abraça quando todos rejeitam. Como? Contando suas próprias rejeições. É o que aplaude os que jamais subiram ao pódio. Como? Revelando seus fracassos. É o que encoraja os que querem desistir. Como? Revelando os momentos em que ficou inseguro. É o que  ensina a chorar contando as suas próprias lágrimas”.

“ Diferentemente da maioria dos pais e professores, Maria não apenas valorizava as suas experiências positivas, mas também as negativas. Ela falava das suas alegrias e das suas angústias, das suas reações ousadas e de seus temores.

O Menino Jesus vivia uma educação em que contar história se tornava leite e mel para nutrir a inteligência.

A pedagogia da maior educadora da História suplantou com vantagens a educação pós moderna, pois enriquece a arte de pensar, prepara para a vida, forma líderes, estimula a intuição, realça a intrepidez, protege a psique, expande a sensibilidade, e acima de tudo, humaniza e socializa”.

“ Educar é caminhar sem ter a certeza de onde se vai chegar. O medo é um ladrão da psique humana. Quem não quer correr riscos está inapto para educar. Os homens sempre foram o sexo frágil, pois só os frágeis usam a força. As mulheres sempre usaram mais as ideias e a sensibilidade.

“Se os homens estivessem no lugar de Deus teriam escolhido um grupo de notáveis intelectuais masculinos para educar Jesus. Mas Deus preferiu uma jovem mulher aparentemente despreparada e frágil. E ele acertou em cheio. Deus fez uma escolha precisa, cirúrgica.

Qualquer intelectual  entraria num êxtase irracional se recebesse a incumbência de educar o menino Deus. Qualquer fariseu se acharia sobre-humano, um semideus, se investido de tal missão. Maria não. Quando tomou consciência da sua grandeza, diminuiu-se espontaneamente”.

“ Muitos educadores querem estar no centro do palco, receber louvores, ser reconhecidos como paraninfos da turma. Maria preferiu os bastidores. Sua meta não era receber aplausos como mestra, mas que seu filho recebesse os louvores como Mestre dos mestres.

Um educador magnífico escreve com uma mão na lousa, e com a outra move o mundo, pois leva os seus alunos a construir projetos de vida e a trabalhar por eles.
Uma mãe fascinante como Maria, com um braço segura o filho, com o outro muda a História. A mais famosa mulher que pisou nesta terra foi a mulher mais discreta de  que se teve notícia”.

“ Uma mãe brilhante com uma mão balançava o filho, com a outra muda o mundo. “

“ Maria não tinha recursos financeiros excedentes. Lutava para sobreviver. Não podia dar presentes, nem tecer vestes caras para seu filho. Porém, deu o mais excelente presente que um ser humano pode oferecer para quem ama: a sua própria história.


É pena que muitos pais não façam como Maria, pois eles dão até o mundo todo se tiverem condições, mas esquecem de dar o principal, a si mesmos”.

segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

PARÓQUIA DE CHAPADINHA - NO NATAL PAPA FRANCISCO PEDE UMA CASA PARA CADA FAMÍLIA



Falando de uma janela do palácio pontifício a dezenas de milhares de fiéis que ali se juntaram para o Angelus na Praça de São Pedro, o Papa argentino acabou por improvisar, deixando de lado o texto que tinha à sua frente. “Vejo lá em baixo, escrito em letras gordas [numa grande bandeira]: Os pobres não podem esperar! É muito bonito”, disse, recebendo um forte aplauso.


"Isto faz-me pensar que Jesus nasceu num estábulo, e não numa casa. Depois teve que fugir, ir para o Egipto para salvar a sua vida. E por fim, ele voltou a Nazaré”, disse o Papa, que antes já tinha lançado um longo elogio a José, o marido da Virgem Maria, que teve a grande coragem de aceitar o seu destino e depositou a sua confiança em Deus.

“Há tantas famílias sem casa, seja porque nunca a tiveram ou porque a perderam por um sem número de motivos diversos. Família e casa são indissociáveis. É muito difícil conduzir uma família sem antes existir uma casa”, denunciou o pontífice, sempre muito atento às questões sociais desde que sucedeu a Bento XVI.

Por isso, convidou “todas as pessoas, os serviços sociais, as autoridades, a fazerem tudo o que for possível para que todas as famílias possam ter uma 


O papa Francisco afirmou nesta quarta-feira (18), em sua última audiência pública realizada tradicionalmente às quartas do ano, que o Natal é uma festa da esperança e o cristão que não serve aos demais, sobretudo os que mais necessitam, na realidade não é cristão, mas um pagão.
O pontífice afirmou que o Natal é uma "festa de confiança e esperança", na qual é preciso "reconhecer no rosto de nosso semelhante, sobretudo nos mais fracos e marginalizados, a imagem do filho de Deus feito homem".



Natal é "fazer-se pequenos com os pequenos e pobres com os pobres", disse Francisco.

Antes de fazer sua catequese o papa realizou o habitual percurso entre os fiéis pela Praça de São Pedro a bordo de seu jipe e bebeu mate oferecido por um dos presentes.
"No Natal, Deus se manifesta não como alguém que está no alto e domina o universo, mas se agacha, abaixa até a Terra, humilde e pobre. Para sermos iguais a ele não temos que nos colocar acima dos demais, mas nos agachar, nos colocar a serviço, nos fazermos pequenos com os pequenos e pobres com os pobres", disse Francisco.
"É uma coisa feia quando se vê um cristão que não quer se agachar, que não quer servir. Um cristão que se pavoneia é feio. Este não é cristão, é pagão. O cristão serve e se agacha", acrescentou.
"O Natal é uma festa de confiança e esperança, que supera a incerteza e o pessimismo. E a razão de nossa esperança é esta: que Deus está conosco e Deus ainda confia em nós", disse.



segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

PARÓQUIA DE CHAPADINHA - O PÉSSIMO É PIOR QUE O MAU


O belo é a harmonia das partes. O feio? – O que não agrada, o que mete nojo. Quando, na vida, algo nos mete nojo tentamos evitá-lo. Mas, às vezes, não sabemos como. Em política, o povo anda desiludido, desanimado, sente-se sem solução, não sabe para onde se virar... começa-se a criar nojo, repulsa... E isso é mau. Nunca devia acontecer, porque a procura do bem comum exige seriedade e colaboração de todos. 

Mas há estratégias que metem nojo e não se suportam. Criam revolta e mal estar. E isso pode acontecer com algumas estratégias que nossos políticos inventam. Política não pode ser a estratégia de juntar os “maus” para ficar “péssimos”. 

Talvez com a força e o amedrontamento de todas as maldades juntas o povo se deixe vencer, porque não há outra solução, pensam eles. Para entender esta estratégia pode-nos ajudar um famoso filme, (aliás muito premiado!) intitulado: Shrek 3. (“Churek 3”) Personagens inimigos perseguem-se para conquistar o trono do rei desaparecido. Um foge para aqui, outro para acolá até que um sente que o jeito é aliar-se, chamar todas as forças maléficas para derrotar o opositor. Então puxa para cena bruxas, vilões de fadas malvadas, feitiços macabros, dragões envenenados, pretensões endiabradas, cavaleiros negros, imagens satânicas, casas assombradas, aparições venenosas, árvores más, diabos peludos... e com tantas maldades consegue conquistar o espaço desejado.


O filme é uma péssima lição. Mas parece que a estão colocando em prática. O povo anda pisado, esquecido, abandonado. Políticos vivem como se bem comum fosse utopia de estúpidos. Uns fugiram para a ilha do isolamento, outros refugiaram-se na distância de viagens e no ar condicionado dos gabinetes a ver se conseguem que o povo esqueça tudo que praticaram ou não vejam o nada que estão fazendo.

 Chegando agora a proximidade da campanha eleitoral, puxam pelo entusiasmo arquivado e, levados pelos vendavais da oportunidade, aí estão eles de novo tentando vencer a absoluta rejeição popular, tentando juntar todas as forças indesejadas a ver se são aceites. 

Esquece-se oposições feitas, enterra-se rejeições públicas, arquiva-se queixas graves, afasta-se acusações criminosas de desvios públicos, arruma-se processos de improbidade administrativa, lima-se arestas, alisa-se inimizades... e aí estão todos os males juntos a ver se conseguem ser “péssimos” para atuarem e acharem espaço no palco da política. 

A peça sonhada é do tipo comédia. O povo está a achar graça. Pergunta-se por toda a parte como tudo é possível. Paira no ar a pergunta: a vergonha, o respeito pelo povo, a moral... como ficam? Será que conseguirão arrumar isso tudo para o lado ou são coisas que nunca possuíram? Que maquiagem arranjarão esses senhores e senhoras para aparecer? 

Por enquanto só há uma certeza: esta é uma comédia que, quando chegar ao palco, todos lhe chamarão tragédia.



 DESINTERESSE PELO INTERESSE PÚBLICO!

Acabo de ler um artigo numa folha informativa de Vargem Grande. Acho o conteúdo interessante. É da autoria de D. Antônio Duarte, Bispo Auxiliar do Rio de Janeiro. Passo a partilhar seu sentido. 

Temos que provocar com urgência uma mudança substancial na forma de analisar os candidatos a cargos governativos.  A experiência mostra que a demagogia e a exposição de fictícios e enganosos planos de governo bastam para seduzir os eleitores. 

Nosso povo vota confiante em palavras que ouve ou que lê. E nisso os políticos são hábeis e muito fecundos. Não costumam ser gagos e gozam de boa imaginação. E, se não têm esses dotes, o grupo que os acompanha ajuda. Nós que vamos votar, precisamos de uma análise séria e ética de três dimensões.


1)- O povo precisa analisar a ética que o candidato mostra no comportamento de sua vida particular. Se a pessoa não é honesta e competente, o voto sairá errado. Essa pessoa tem integridade de caráter? De que maneira ganhou o status social que a leva a propor-se como candidata? A atividade de seus negócios está legalizada? Respeita a família constituída por homem e mulher fundada sobre um casamento sólido e permanente? Como educa seus filhos, se os tem? Se vive de qualquer maneira, só pensando em si e nos seus interesses, não serve.


2)- segunda análise: que ideologia inspira essa pessoa e os do seu grupo? São pessoas isoladas da convivência social, muito convencidas de suas qualidades, que gostam de impor suas ideias e que não deixam aos outros nem o exercício da liberdade de sua consciência? Assumem posições contrárias à verdade, aos valores humanos autênticos que fazem valer através de imposições totalitárias? Se tem empregados, será que eles votam nele? 

3)- Como julga o candidato promover a moralidade pública? Como tem sido seu passado? Costuma ganhar dinheiro mesmo com a imoralidade pública? Reclama leis positivas inspiradas em princípios éticos de valorização pessoal e coletiva ou suas pretensões costumam usar atitudes egoístas e atrevidas que não geram solidariedade? Que formação social tem o candidato? Tem sensibilidade aos problemas sociais e passado de luta ao lado de instituições ou grupos preocupados com a promoção das populações?  

Se até agora viveu fechado no seu mundo individual, usando até, sem escrúpulos, métodos esquisitos de enriquecimento aproveitando, mesmo, a degradação moral das populações... esse candidato não serve! Precisamos de políticas públicas educacionais, econômicas e sociais de saúde e segurança que trabalhem as crianças, os jovens e a população em geral para serem ricos em humanidade e responsabilidade ética.


O nosso povo tem os políticos ou governantes que merece. Durante a campanha eleitoral, explora os candidatos da maneira mais insolente e imoral, pedindo-lhes a satisfação de seus mil interesses. Como quer que depois eles trabalhem pelo bem comum se ficaram endividados e ensinados a satisfazer interesses particulares? 

Quem explora essa chance individual perde a chance de exigir bens públicos. Temos um povo ainda pouco educado para a democracia. LI, há dias, na internet uma frase em que meditei: nosso povo quando vai à rua exigir... parece que tem a força de um leão. Mas quando vai votar, vota com a estupidez dum jumento. Será verdade?




MUITO ESTRUME AQUECE AS RAÍZES E SECA A PLANTA.
POUCO ESTRUME ADUBA O TERRENO E FAZ A PLANTA CRESCER.



Estamos no Advento e temos que refletir sobre as opções que movimentam nossa vida. Céu carregado de nuvens não deixa ver o sol. Roça bem cheia de capim não promete boa colheita. Carro freado não desenvolve a marcha. Cavalo apeado não trota. Navio amarrado no cais não se pode afazer ao largo. Avião com turbinas paradas não consegue subir ao alto. 

Assim a pessoa amarrada às preocupações terrenas, pesada e presa às riquezas... dificilmente está disponível para ser uma pessoa de espiritualidade. Não sente a direção da rota do vento do Espírito. Não sente necessidade de escavar suas possibilidades espirituais. Quem tem carteira cheia, ordinariamente, tem coração vazio. 

Quem se deixa enterrar nos bens terrenos, não consegue ter asas para atingir o ideal de santidade. S. Antônio pregava que muita riqueza é como muito estrume numa planta. Esquenta a raiz da planta e faz com que ela seque. Pouco estrume aduba o terreno e faz a planta crescer.


Seguir Jesus exige disponibilidade para escutar Sua Palavra, para aceitar Seu Projeto e ter jeito ou estilo novo de viver. Ou vivemos em liberdade verdadeira ou somos libertinos. Ou Deus ou o diabo. Ou vivemos em verdade ou em falsidade. 

S. Inácio, no seu livro de exercícios espirituais, fala de duas bandeiras. E temos que escolher seguir uma.“Quão difícil é aos ricos entrar no Reino dos céus” (Mt.19,23-26). “A sedução da riqueza sufoca a Palavra” (Mc.4,19). “Ninguém pode servir a Deus e ao dinheiro” (Lc.16,13) E temos um exemplo concreto: o jovem rico (Mat.19,16-22). O rico rodopia sobre si mesmo. Apoiado nas riquezas que o prendem, não avança, é ganancioso e gira à volta dos seus interesses. Não se entrega ao Caminho. Está preso.


Precisamos desamarrar a vida, não podemos arquivar sonhos bonitos por sermos insensíveis ao Transcendente. Não nos podemos prender à terra, senão perdemos a direção e a dinâmica de peregrinos que somos, rumo à eternidade. Precisamos ser livres, disponíveis e abertos às inspirações do alto. Demasiadas pretensões, inutilizam grandes vocações.


          NOTICIÁRIO DA PARÓQUIA:

1. A construção do Centro de s. Antônio continua. Estamos já a rebocaras salas, enquanto os carpinteiros se aplicam no telhado.

2.  D. Valdeci veio crismar 100 pessoas , ontem sábado. Parabéns a todos! Foi bonito e correu com ordem, apesar da multidão. Mas esperamos que a confirmação confirme mesmo na fé as pessoas que optam por Cristo.

3.  As comunidades da Tigela e de S. Antônio estão fazendo esforços para terem, quanto antes, o Santíssimo Sacramento nas suas capelas. Revela fé e, por isso, damos parabéns aos que se estão movimentando.

4.  Vemos que a cidade de Chapadinha ganhou alguns sinais de Natal. Muito desejávamos que esses sinais sejam respeitados por todos e não sejam roubados ou danificados, como tem acontecido noutros anos.  

5.  O palco da praça da matriz vai ser coberto com uma estrutura de ferro. Agradecemos a todos que nos estão ajudando.

6.  Já temos o projeto do nosso futuro rincão elaborado por um engenheiro. Vamos começar a pensar na sua execução. Em 2015 vamos ter em Chapadinha a Romaria da Terra a nível estadual. Virá muita gente de fora e nós queremos participar em cheio. Que bom seria podermos fazer o encerramento nesse local do Rincão.

7.  Agradecemos a todos que nos têm ajudado com comida para distribuir aos mais necessitados. P. Casimiro, inclusivamente, tem levado alguma coisa para o interior.

8.  No dia 1 de janeiro haverá um Grandioso Concerto de Natal, às 20h na Igreja Matriz. Nesta 1.ª noite do ano não haverá a habitual celebração da Eucaristia. Este momento cultural e musical contará com a participação de diversos grupos: Coral Paroquial (Coro e Banda), o Grupo de Teatro João Paulo II, o Grupo de Dança “Tempo de Graça”, com os alunos da Escola de Música Papa Francisco e com algumas crianças e jovens da catequese. Desejamos uma grande adesão, tento em conta que será um acontecimento único em nossa cidade.

9.  Irá acontecer a “Semana Solidária”, entre 17 e 20 de dezembro. É um conjunto de atividades voltadas para os jovens, entre os 16 e 30 anos de idade. Consiste num Retiro de Advento, com o objetivo de sensibilizar para o 
verdadeiro significado do Natal. Serão quatro dias 
intensos com espaço para aprendizagem, partilha e 
reflexão, visionamento de filmes, visitas a instituições e 
famílias, oração e adoração, entre outras surpresas… 

Será necessária a inscrição até dia 15/12, no 
secretariado 
da Matriz, onde estarão mais informações.





domingo, 1 de dezembro de 2013

PARÓQUIA DE CHAPADINHA - CASO DA TIÚBA COMPLICA-SE MAIS!


O caso da Tiúba está a ganhar contornos inaceitáveis. Primeiro foi a morosidade em mandar elaborar o inquérito policial e agora é a maneira como este está a ser orientado. Diante da gravidade dos fatos acontecidos não se pode permitir misturar processos nem reclamar por direitos ainda não sentenciados para justificar arbitrariedades violentas e criminosas. 

Os processos de reintegração e de manutenção de posse são uma coisa. Estão a decorrer em tribunal competente. O que aconteceu agora é outra coisa distinta. Estamos em estado de direito. Não é permitido fazer justiça por próprias mãos, usar método violento, perigosíssimo a vidas e amedrontador, destruir habitações, atacar a liberdade religiosa destruindo uma capela que servia para fazer culto todos os domingos ( não só uma vez, quando lá foi o padre!). Quem nunca lá foi, quem nunca se interessou com o que é religião em comunidade de vida não poderá pretender inventar desculpas da má ação cometida. 

A destruição da capela foi uma afronta ao povo, à Paróquia e ao direito constitucional de liberdade religiosa. O Pároco nunca foi avisado de qualquer abuso lá cometido. Agora, abuso grave foi tapar o caminho público, negando o direito de ir e vir. Não queremos adiantar hoje, mas está-nos parecendo clara a colaboração de quem se devia interessar mais pelo bem público e não andar a prejudicar pobres. 

O que aconteceu, além de crime, é uma vergonha para Chapadinha que já não assistia a isto há trinta anos. É um retrocesso grave com a criação de uma situação de violência inaceitável. Os efeitos do crime ainda estão à vista de todos. O seu autor já se declarou responsável pelo que fez num documento assinado em que diz que alugou um trator para fazer esse serviço por R$450,00 (compreende-se donde lhe veio a pressão para tal fazer!). 

Parece-nos inaceitável que, depois de tanto crime cometido, ainda, com tantos jeitinhos e conselhos transformem o réu em rei e o acontecimento criminoso em celebração de poder arbitrário. A escuta dos testemunhos e a possibilidade de intervir, desculpando-se e atacando, durante os interrogatórios aos lavradores, é bastante estranha. 

Exigimos competência profissional às autoridades policiais, liberdade institucional e respeito pelas leis. 

Receamos que tudo, como já as armas pesadas se transformaram em brinquedos de plástico, venha a ser considerado uma brincadeira com capangas de plástico e um trator, infantil brinquedo de plástico tele-comandado à distância por um comando a pilhas. 

Só nos resta desejar que venha o Ministro Joaquim Barbosa averiguar!

                              
                             BELO DEMAIS
                        
Foi bonito, belo e, a quem o presenciou, deu muita alegria. Coisa que Chapadinha nunca tinha visto! Refiro-me ao evento “Bote e Irradie Fé” na Praça do Povo, no passado sábado. Preparado com carinho e dedicação, correu da melhor maneira a manifestação religiosa na festa de Cristo Rei. 

A procissão eucarística, a manifestação de fé e adoração na praça, a recolha à tenda do encontro, a celebração da Eucaristia, as coreografias e o show foram coisas para não mais se esquecer. Belo, artístico e encantador foi o trabalho do coral. Parabéns ao professor Tiago e a todos que integraram esse laborioso trabalho. 

Serviu de verdade para criar um ambiente artístico e propício ao louvor e adoração a Cristo. Há muito tempo desejávamos ver, em nosso meio, um espetáculo assim acompanhado com um instrumental todo com músicos de Chapadinha. Parabéns, gente amiga! E parabéns a todos que trabalharam com cansaço e dificuldades para isso acontecer. Sem esquecer quem colaborou com patrocínios! Obrigado a todos!


Será nossa intenção que se repita assim, cada ano, um espetáculo. Desta ou doutra maneira. Na Praça do Povo ou em outro local. Muito desejamos iniciar a construção do nosso rincão! Mas não desanimamos. Vai ser possível com a ajuda de todos! Já teria sido começado se não houvesse gente irresponsável, pelo meio, que se sabe apoderar do alheio em favor próprio. Gesto intolerável que não haverá “cremozinhos” que o compense ou faça esquecer. 

Ficará para sempre na minha lembrança aquela barraca branca do encontro com o Santíssimo que tanta gente atraiu. Bendito seja Deus! Até o céu deu uma visitazinha com alguns pingos de chuva que não afastaram ninguém.  Pena foi que muitos acharam que não valia a pena arriscar e se refugiaram no desinteresse. Mas ( tenho a certeza!) que se arrependeram e ficaram com vergonha!


A ALEGRIA DO EVANGELHO
EXORTAÇÃO APOSTÓLICA DO PAPA FRANCISCO.

O Santo Padre Francisco acaba de publicar uma Exortação Apostólica, uma Carta a toda a Igreja, sobre a evangelização no mundo atual. Seu título: “gaudium evangelii” (a alegria do Evangelho) É um documento riquíssimo, fruto do Sínodo sobre a Nova Evangelização que foi feito o ano passado em Roma com a presença de bispos de todo o mundo. 

Depois de definir a mensagem cristã como “novidade alegre”, o Bispo de Roma pede o entusiasmo e a centralização da fé dos católicos em Cristo. 

A fé não é um sentimentalismo passageiro, uma consolação interior para nos levar a descansar num sofá. É um compromisso vital com Cristo, Missionário do Pai e que nos faz todos ser Seus discípulos-missionários. Só Ele é a origem, a causa, a fonte e o centro de nossa vida. 

Vivemos num mundo de desvalorização das pessoas e do relacionamento humano pelo uso de forças como o lucro, o dinheiro, o bem estar... Os cristãos têm que sair à procura daqueles que se atropelaram na mediocridade e deixaram de se interessar por Cristo. Por isso, é urgente que todos testemunhemos nossa felicidade em viver com Cristo para que se crie uma civilização do amor, uma cultura que respeite a pessoa humana e a sua dignidade de filhos de Deus. 

O Papa Francisco como que propõe a toda a Igreja o documento da Aparecida em que ele foi o secretário final. Precisamos de conversão constante, mesmo o papado, até à plenitude de Cristo. Abertura à Sua graça e disponibilidade para colaborar no Seu projeto de realização do reino do Pai. 

 Os cristãos devem ser solidários, atuantes na sociedade, mesmo na linha política que é uma forma de caridade. E a comunidade faz parte constitutiva da vivência de nossa fé. Ninguém pode ser cristão sozinho. Não podemos andar com “cara de defuntos”, “cara de sexta feira santa sem domingo de Páscoa”, com “cara de vinagre”. 

Temos que contagiar nossos ambientes com a força salvadora da redenção. Verdadeiramente belo é o seu ensino sobre a atualidade da Palavra de Deus que é mais importante que a palavra do papa. Belíssimos são os parágrafos sobre a homilia em que deve aparecer mais a força da graça de Deus que a eloquência do ministro. Vale a pena que quem sabe ler compre logo que apareça a público este documento e o leia como a continuação do catecismo da igreja católica.  Logo que as Paulinas o publiquem irei trazê-lo para o secretariado paroquial.


              NOTICIÁRIO DA PARÓQUIA

1. O torneio de futebol da catequese teve como vencedores: Campeão Sub 16 – Comunidade de S. Raimundo –Corrente; Vice-campeão – comunidade de S. Camilo – Areal. Campeão Sub-13 -Comunidade de S. Teresinha- Boavista; Vice-campeão – comunidade de S. Camilo – Areal.


2. A construção do centro Comunitário da comunidade de S. Antônio continua em ritmo acelerado. Estamos quase a colocar o madeirame do telhado. O difícil é o aterro do interior das salas que têm um declive muito grande.


3. Como já está noticiado, a administração do Santo Crisma vai ser no dia 7 às 16.00H.

4. Está já decorrendo a novena de preparação para a festa da Imaculada Conceição Padroeira da comunidade em Terras Duras. Lamentamos profundamente que em brejo alguém se tenha apoderado do título de “Festejo de Brejo” dedicado à Imaculada Conceição, Padroeira da Diocese, para anunciar iniciativas recreativas.

5. P. Antônio tem telefonado. Espera fazer uma cirurgia ao coração para colocar um marca-passos que lhe ponha ritmo nas pulsações. Depois deseja vir para Chapadinha se os Superiores acharem bem.

6. Já estão à venda no Secretariado os folhetos para os encontros de preparação para o Natal.

7. Está entre nós, de visita às colegas, a Missionária Conceição Gaspar.

8. Inicia este mês a formação de Leitores, que irá decorrer até Março de 2014.  Neste mês a formação será no Setor 1 e Setor 10. A primeira sessão será terça-feira no Campo Velho, para as Comunidades do Setor 1 e na sexta-feira, no Bairro Novo, para as Comunidades do Setor 10. A formação terá a duração de 2h e começa às 19h30.

9.  O P. Maior Sequeira que foi reitor do seminário dos Missionários da Boa Nova em Belo Horizonte, chegará entre nós, para passar alguns meses, no próximo dia 17 de Dezembro. O seminarista Francisco Mário virá em Janeiro.

10. Foi transferido para o terceiro domingo de Dezembro a cerimónia de poder ser Ministro Extraordinário ad Comunhão. Depois da missa das 10.00H.

11. Ainda não foi feita a Escritura de venda do terreno da futura capela de S. Expedito porque o dito terreno não tem registro em cartório. Pensamos que brevemente vai ser feita a Escritura.

12. O Pároco participou da cerimónia da tomada de posse do novo Comandante da 4ª Comp. Ind. da Polícia Militar de Chapadinha Maj. Glauber. Agradecemos ao anterior comandante Major Edvaldo toda a dedicação, aproximação da população e zelo pela ordem. Desejamos ao novo Comandante êxito pela dedicação no cargo que assume. Pode contar com a colaboração do que a comunidade católica lhe puder prestar para o bem da segurança e respeito à lei.

13. Na ocasião, o Pároco teve a satisfação de cumprimentar o Comandante Geral da Polícia no Maranhão, Cel. Zazoni que também estava presente com sua esposa. Agradecemos-lhe a amizade e todo o interesse por Chapadinha e a promessa de para aqui trazer um Batalhão logo que possa. Fazemos votos e rezamos para que a sua presença, nesse alto cargo, prestigie a Polícia quer pela sua competência profissional, quer pela resistência à força dos vendavais da interferência da corrupção na Instituição policial. 






terça-feira, 26 de novembro de 2013

PARÓQUIA DE CHAPADINHA - A GRANDE LIÇÃO DA 2ª EDIÇÃO DO "BOTE FÉ" EM CHAPADINHA: SERVIÇO E ORAÇÃO SÃO URGÊNCIAS, NÃO ALTERNATIVAS!




 Jesus é o grande Mensageiro do Pai. Mas quis e quer envolver todos os homens na Sua tarefa. Quis precisar de Sua Mãe Maria, chamou os Apóstolos, enviou os discípulos e deixou-nos o mandato universal de fazer discípulos Seus todos os povos; de todos os tempos e culturas. Todos. Portanto, ser cristão é ser a expressão visível da permanente presença de Cristo na História. 

Todo o cristão é um comprometido com a criação do Reino de Deus. Por haver alguns que dedicaram toda a sua vida à atividade missionária, os outros não estão dispensados. Aqueles que dedicam sua vida a pleno tempo à atividade missionária são apenas sentinelas, vigias desse mandato universal do Senhor para que ele não seja esquecido por ninguém.   

Mais importante que saber quem é o nosso próximo, é sentirmos a urgência de estarmos próximos de quem precisa.  Jesus ensina que essa atenção e serviço aos outros são necessários, mas deve ter prioridade o escutar a Sua Palavra. Não se dispensa a ação, mas esta deve corresponder ao resultado da escuta da Vontade divina. 

Quando fazemos uma viagem é preciso caminhar, mas antes temos que saber qual a direção a tomar. Servir os outros e rezar não são duas alternativas. Ambas as tarefas têm que ser feitas. Mas cuidar da intimidade, descobrir a razão e o jeito de trabalhar, saber colocar ternura no que fazemos tem a primeira importância. 

As duas coisas: serviço e oração são importantes; a prioridade que devemos dar à oração não dispensa o serviço. Ambas as coisas são urgentes. Uma não é alternativa da outra. É necessário que o carro corra na estrada, mas antes tem que parar para se abastecer.  

Celebrámos o segunda edição do " BOTE FÉ", com a tarefa dada por Cristo de "irradiar a fé": " Que a luz de vocês não fique escondida debaixo dos caixotes, mas , mas bem no alto para que ilumine a todos que estão em casa" ( Mt.5, 16).

 A dedicação dos que levaram avante este grande evento  deve ser incentivo à nossa atividade missionária. Também eles se prepararam nos retiros, na reflexão e na oração para esta iniciativa.( Veja fotos)