domingo, 27 de março de 2011

VIDA NOVA - Boletim formativo e informativo da Paróquia de Chapadinha




                                                                                                   
VIDA NOVA PARÓQUIA DE N.S. DAS DORES -           CHAPADINHA -MA
Diretor - P.Manuel dos Santos Neves Tel (98) 3471.1262                    www.paroquiadechapadinha.com


        NÃO HÁ TEMPO A PERDER!        
É necessário, urgente, indispensável, super-precioso... aproveitar o tempo que vivemos. Estamos em tempo de sementeira da eternidade, estamos ensaiando nos pequenos encontros quotidianos o nosso encontro com a eternidade. Por isso, precisamos eternizar o tempo, dar dimensões de verdadeira felicidade ao que fazemos. Viver de “qualquer maneira”, “viver à toa”, de qualquer jeito... não serve. Nossa cultura busca a satisfação na rapidez dos acontecimentos, na facilidade das realizações, no prazer das ações... Tudo que é rápido, fácil, passageiro e prazeroso...serve! Mas o cristão deve estar na contra-mão de tudo isto!
Continuamos hoje na liturgia quaresmal, as catequeses batismais. Precisamos afirmar nossa fé e firmar nossos passos numa vida feliz, de verdade. Já refletimos na fragilidade humana e na necessidade de procurar soluções acertadas no deserto da vida. O diabo é hábil, manhoso e espertalhão. Seguir suas propostas é deixarmo-nos enganar (1º domingo). Só Cristo é a solução, certeza de nossa justificação e promessa segura de felicidade. Ser radical na confiança com Cristo e renunciar a tudo que não seja fidelidade à escuta da Palavra (2º domingo). Hoje a Liturgia trata duma catequese do Senhor que vem ao nosso encontro no inesperado dos momentos quotidianos. É dEle a iniciativa, é Ele que nos espera e marca encontro. Deus faz-se próximo, oferece a água viva da Sua graça que nos sacia a sede de mil urgências. Os samaritanos eram eternos rivais dos judeus. Jesus espera, faz-se próximo e dialoga com uma mulher samaritana, sem nome, a simbolizar todos os afastados do convívio fraterno. À mesquinhez de pensar que Jesus precisa de balde e corda para ter água, à saliência de quase negar água a quem tem sede, à infeliz admiração de ver um judeu a falar com uma samaritana... a tudo isso Jesus responde com a catequese da vida nova, do culto novo em espírito e verdade... e daí vem um novo sentido para a vida da mulher que corre em missão. Não há comunhão sem missão. Cristão parado é, de certo, amor adiado. Quem ama evangeliza. Cristo é uma paixão que se ganha e de que é impossível não dar testemunho.
O Espírito de força, alegria e vida nova que nos foi dado pela água do Batismo deve ser revigorado, aceito com generosidade e conversão. Precisamos mergulhar em Deus. Não podemos navegar à deriva nas tépidas águas dos nossos caprichos. Cristianismo não é uma doutrina que se ensina, uma filosofia que se aprende, uma moral de que parece oportuna, nem uns conceitos religiosos que se assimilam. É uma Pessoa que encontramos, um Amigo que nos espera com Seus dons, um Deus que nos assegura o caminho da salvação, um Salvador de nossas vida. Ser cristão é coisa séria. Deus não nos amou brincando. Não podemos ser cristãos por brincadeira. Por isso, não podemos perder tempo.





A TERRA, CASA SEM PAREDES, APENAS PONTE PARA O DEFINITIVO.

Senhor, guia-me nos caminhos da vida! Sinto a tendência de seguir por atalhos, mil vielas que me afastam de Ti. Tu és a minha Fonte e serás a minha Estação final. Desejo trilhar teu caminho e ajustar meus caminhos aos teus. Segue meus passos por onde eu for. Que eu não prefira os caminhos por onde a tua benção não me pode acompanhar. Caminha a meu lado, rumo ao bem! Isolado, não consigo avançar. Não sou capaz. Dá-me cada dia a sensibilidade à Tua vontade, o desejo de percorrer teus caminhos. Sou caminheiro itinerante. Vivo em contínuo trânsito até á reta final em que sei Te vou encontrar. Ao meu lado ouço vozes discordantes que me incitam a desviar-me. A mãe natureza, nossa casa sem paredes, nossa ponte para o definitivo, também está sendo sufocada pelos mil desejos do homem moderno: as fontes secam, as matas desaparecem, os mares são poluídos e suas águas revoltosas destroem cidades. A mãe natureza está a ser agredida pela ganância dos homens. As águas dos oceanos sobem um grau de calor. O gelo se derrete e as praias são invadidas. A vida está sendo ameaçada. Ajuda-nos, Senhor, a lutar pela vida que é oferta tua, a compreender que somos cidadãos do céu, que o provisório é a única situação permanente. Dá-nos força para subir e descer, morrer e ressurgir

Aqui em Chapadinha há nascentes cercadas, correntes cheias de lixo cujas águas não deslizam mais. As praças enchem-se de plásticos, os montões de lixo são os “enfeites” de cada esquina. Dá-nos, Senhor, amor à mãe terra e torna-a fecunda de vida e alegria para que nosso caminhar para a plenitude que sois Vós, seja cheio de felicidade. Pessoas pascais. De passagem onde toda a pátria nos é estranha. Nunca a aurora nos encontre estacionados na satisfação ou acomodados na apatia. Que louvemos tua riqueza e beleza nas coisas que para nós criastes.

         PARABÉNS, CHAPADINHA - ANIVERSÁRIO DE 73 ANOS         

                                      Enquanto alguns cuidam de  seus interesses floridos,    outros     apanham as pedradas de muitos descasos

CELEBRAR ALEGRE PROGRESSO OU CHORAR TRISTE ABANDONO?
O Município de Chapadinha está celebrando 73 anos. A princesa do Baixo Parnaíba merece nossa estima e todo o esforço para o desenvolvimento desta imensa área que tem Chapadinha como centro administrativo. Cidade atraente, bem delineada, promissora no seu futuro e acolhedora no seu presente. Sobre ela nos queremos debruçar nestas linhas. Não é um sentido crítico e destrutivo que desejamos. Apenas uma colaboração para nossa reflexão e compromisso DE TODOS.
1)- Integrada em toda a grave problemática do Baixo Parnaíba, Chapadinha sofre as consequências da implantação, em grande escala, da monocultura da soja, do aumento do latifúndio com a concentração de terras, da mobilidade das populações empurradas para os centros urbanos, da instabilidade e agressão ao clima, da ameaça da desertificação de enormes áreas pelo plantio de eucaliptos, da falta de políticas públicas que assegurem a saúde, a segurança social e a promoção da educação popular. No futuro, mais graves problemas podem surgir com tudo isto.
2- Melhorou o sistema habitacional. Desapareceram, no centro urbano, as casas cobertas de palha, aumentou em muito o número de residências com primeiro e segundo andar. Mesmo no interior, os assentamentos têm melhores residências e melhorou o acesso de alguns assentamentos.
3- Melhorou a preocupação pela educação. A maioria dos professores tem melhor qualificação profissional, chegaram as universidades e um centro superior de Ensino, mas não podemos esquecer que uma grande parte da população é analfabeta e com falta de sentido crítico diante da realidade que a circunda.
4- Falta tudo na área da Saúde. Uma vergonha! Os Centros de Saúde nos bairros e no interior, com raras exceções, não funcionam. Falta um hospital regional que assista toda esta imensa área e que não nos obrigue a correr em ambulâncias para S. Luis onde a assistência é terrivelmente deficiente. O trabalho de especialidade médica é caro e só ocasional. A situação dos hospitais é caótica.
5- A diversão popular está deixada ao acaso de pessoas que exploram a população com festas e mais festas sem proporcionarem ambiente cultural e de responsabilidade educativa. Predomina a venda de bebidas e a exibição
6- Se retirarmos o centro da cidade, o ambiente dos bairros é de lixeira. Falta educação para que não se amontoe lenha e lixo retirados dos quintais. O aterro sanitário está em péssimas condições.
7- A maior parte da população vive da agricultura. E esta é de absoluto primitivismo e de mera subsistência. Falta assistência de técnicos, a existência de campos experimentais, maneira de melhor escoamento e venda de produtos. Oxalá a Prefeitura contrate tantos técnicos de agricultura como advogados tem.
8- Falta um lugar digno para rodoviária. Escandalosa é a situação do Ginásio de Esportes. Num novo cemitério municipal nem se começou ainda a falar. E o problema da água que vai faltar ? Macaoca não basta para a atual cidade.
9)- O sossego público é um sonho. Antes não havia medidor de decibéis, agora não se sabe porquê. Desde madrugada até durante toda a noite, não há sossego. É um carnaval prolongado. De quem será a culpa?
10-;Religiosamente precisamos que a paróquia seja dividida em três ou quatro paróquias. Uma equipa sacerdotal não pode satisfazer as exigências evangelizadoras, sobretudo quando a fragilidade da idade dos sacerdotes já não permite a criatividade pastoral.
11)- A classe política precisa de ser mais atuante e comprometida com o desenvolvimento. Quem não tem vida familiar e só pensa em economia não serve para administrar. Precisamos políticas que promovam valores morais e a família. Candidatos sem exemplo familiar e só comprometidos com ofertas que depois vão retirar dos cofres públicos não servem para serem autoridade. Falta-lhes seriedade e moral. Nota-se muito a distância das autoridades da convivência social e, sobretudo, a sua ausência em fins de semana. Falta publicação compreensiva das contas municipais e um governo mais participativo e menos centralizador.





LIXO DE CHAPADINHANas beiradas de ruas, estradas, caminhos pro interior, lamentàvelmente, apenas lixo e lixões
a céu aberto...
                              NOTICIÁRIO
1-     A uma carta ao Dr. Fábio Meneses, Promotor Público, a convida-lo para um encontro na Paróquia e a apontar algumas irregularidades públicas, recebemos a resposta: ´..“já foram
 tomadas todas as providências de competência desta Promotoria de Justiça junto às instituições responsáveis pela segurança pública no que se refere às questões de desrespeito à legislação ambiental por excessos ou abusos sonoros, inclusive com distribuição de equipamentos para medição de decibéis, como também quanto à organização do trânsito e transgressões ao Código de Trânsito e, ainda, ajuizada em 19.11.2010 Ação civil Pública em relação às irregularidades constatadas no aterro sanitário de Chapadinha. Sendo que me apresenta para o momento, colho do ensejo para apresentar protestos de elevada consideração”. Aqui ficam estes dados à nossa consideração e futuras tomadas de posição da comunidade. Sobre o convite para uma reunião nada nos foi transmitido.
1-     O 73º aniversário de Chapadinha, na próxima terça feira, dia 29 de Março. A Paróquia realizará uma Celebração Eucarística na Matriz, às 09.00H, para pedir o dom da responsabilidade pública a todos, autoridades e população.. Convidamos as comunidades, pastorais e movimentos a marcarem sua presença e participação. Desejávamos que esta celebração contasse com a participação de uma multidão de fiéis. O hasteamento das Bandeiras será, na frente da Prefeitura, às 7.00h. Desejamos demonstrar às autoridades que a atual situação desagrada a muitos.
2-     Hoje, domingo, dia 27 de Março, haverá a imposição dos ritos batismais a todos os catecúmenos que vão ser batizados na Páscoa. Peço que as famílias não esqueçam.
3-     O grupo de Jovens que costuma promover a representação da Paixão de Cristo pede que mais jovens ou pessoas se apresentem para a encenação. Faltam pessoas para encenar a paixão de Jesus. Estamos pensando, mas precisamos decidir isso depois dos ensaios, em fazer a representação na Praça do Povo.
4-     Está a decorrer uma Assembléia Diocesana de Catequese no nosso Centro Paroquial. Presentes mais de 200 pessoas vindas de todas as paróquias da Diocese de Brejo. Presente também o Sr. Bispo e o P. Manoel de Barreirinhas, assessor diocesano deste setor pastoral..
5-     Decorreu em S. Luis o retiro diocesano do clero de Brejo. Presentes quase todos os padres da diocese. Esteve também presente P. Neves. O orientador do retiro foi D. Edimilson, com 86 anos, bem conhecido pelos mais velhos, por ter sido muito responsável pela fundação da nossa diocese. O tema meditado foi a “Aliança” em que o Sr. Bispo se mostrou exímio pensador e possuidor de um rica experiência pastoral e boa cultura religiosa.
6-     Esta semana irão ser visitadas as comunidades de S. Pedro e S. António (29 e 30) Aldeia (1 e2 de Abril). Quinta feira, dia 31 de Março, véspera da primeira sexta feira de Abril, é dia de confissões na Igreja.
7-     Soubemos que alguém limpou uma terreno que está aforado em nome da paróquia, no Areal, que nos foi doado por uma paroquiana. Tudo indica que querem lá fazer um campo de bola a conselho de um senhor vereador. Talvez tivéssemos preferido que esse vereador mandasse limpar na frente da capela da Aparecida ou nas vizinhanças da capela de S. Raimundo na Corrente. Tencionamos cercar e construir no terreno depois da construção da Corrente.
8-     Quinta feira próxima, vai haver uma mesa redonda no CRESU com a presença da Promotoria de Justiça e Secretárias do Meio Ambiente e Educação. Pedimos interesse por esta iniciativa e a presença do maior número. O encontro é promovido pelas Pastorais.
9-  A Caritas de S. Luis fará um curso de lideranças para a execução de projetos nos dias 2 e 3 de Abril em Chapadinha.

quinta-feira, 24 de março de 2011

CONVITE A PARTICIPAR COMO ATORES NA VIA SACRA DA PARÓQUIA

Os jovens da VIA SACRA de 6ªFª Santa  estão pedindo que você jovem possa se juntar a eles para os ensaios.  Os Ensaios começarão nesta 2ªF.ª dia 28 de Março. Horário= às 19.30h.
Local : Centro Paroquial
Agradece a Coordenação do Grupo da VIA SACRA  de Chapadinha
Obs:  Estamos até pensando que a realização da Via Sacra possa acontecer na Praça do Povo. Está faltando só o aval do vigário, que decidirá após a volta dele de São Luis, onde se encontra nessa semana num Retiro Espiritual, junto com o Sr. Bispo, D. Valdeci,  e todos padres da Diocese. Fique atento. Obrigado

domingo, 20 de março de 2011

O DIABO NÃO É BOBO! BOBO É QUEM ACREDITA NELE
                               SÓ CRISTO É A SALVAÇÃO

      No domingo passadp, 1º da Quaresma, recebemos a primeira lição da catequese batismal. As tentações de Jesus evidenciam nossa fragilidade de seres humanos. Somos tentados.  Fazemos muita coisa de que  nos arrendemos depois e deixamos de fazer algo que devíamos.  Duas coisas foram evidentes: 1º, o diabo não é bobo. É espertalhão.  Sabe ser gentil, abordar as pessoas com delicadeza, motivar ilusões impossiveis, propor aventuras estapafúrdias...Tentou Jesus e tenata-nos também a nós.. Somos pessoas acariciadas, "beijadas" por Deus ( sopro de vida)!, mas com que facilidade caímos nas armadilhas do demônio! Como patos atirando-se  à água. Tentados a USAR DEUS, COMO MOLEQUE PARA SERMOS APLAUDIDOS...E o diabo usa o texto biblico fora do contexto, por mero pretexto e xingando de nossa  de nossa ignorância biblica. Jesus soube mostrar que o Pai não é engenheiro químico ou mágico, para  trnaformar  pedras em pão, nem é pára-quedas para nos proteger de saltos extravagantes, nem é brinquedo para nos satisfazer em nosso desejo de diversãs vaidosa. E ainda o diabo " promete mundos e fundos". Cuidado com a esperteza dele . Não nos transmite boa catequese. Engana-nos, isso sim, propondo-nos o consumismo, aliciando-nos com falsas ilusões, usando o engodo de querermos ser importantes, roubar o que é público para benefício proprio, servirmo-nos do corpo para vaidades e prazer...Deus é Amor. Não é poder, dominação, exibição.... O verdadeiro amor é oblativo, generoso, silencioso, , responsável. Por isso Jesus hoje se mostra transfigurado no monte Tabor pondo diante denossos olhos Sua glória. Vai para a Paixão, mas sairá vitorioso, assumindo a direita do Pai, arrastando consigo toda a humanidade. Como aos três Apóstolos, Jesus nos conduz a uma enorme initimidade:  somos sreres divinizados, filhos no Filho. A graça divina nos acolhe e engrandece. Somos, em Cristo, chamados a uma vida de santidade.. A voz vinda do céu nos comunica essa certeza> " este é o meu filho único muito amado, ouvi-o".  Temos que ouvir e seguir a Palavra de Jesus. Só ela é a verdade única. o caminho certo, a força capaz de nos dar a vida nova do Espirito.
NÃO HÁ DIA SEM LUZ, NÃO HÁ VIDA SEM CRUZ.









Não há dia sem luz. Não há vida sem cruz. Envelhecer não é morrer. É trocar sonhos por saudades. É caminhar para a plenitude. Morrer não é acabar. É entrar na plenitude da vida. A haste alta do bambú torna-se assim resisistente por causa dos nós. As dificuldades  da vida dão-nos maturidade, tornam-nos mais fortes para enfrentarmos os problemas. Seguir Jesus não é sacrificio, mas exige sacrificios. É glória, é realização, é alegria de plenitude.
A cruz, lugar de suplicio e morte tornou-se, com Cristo, sinal de vida e glória. Cruz em um de nós é sinal de renúnicia a nós mesmos, para Cristo ser tudo em nós. O seguimento de Jesus exige a negação de si mesmo. Os nossos cxaminhos não são os Caminhos de Deus. Quem, em Cristo perde a vida, conquista as verdadeira vida. Paulo pregava Cristo e Cristo crucificado e a cruz de Cristo era o único motivo de glória, sentia-se crucificado para o mundo e o mundo para ele. Sem renúncia não há vida. Isso acontece nas pessoas e nas coisas. Psara haver vida tem que haver transformação, para se dar , exige despojamento, morte cruz. Vejamos alguns exemplos.:
O sol tem que renunciar ao seu triunfante iluminar do dia para proporcionar a escuridão da noite e deixar as pessoas descansar. É na escuridão e no silêncio da noite que nasce a beleza da madrugada. A escuridão tem que ser vencida pela luz do amanhecer. A beleza da árvore florida só é possivel graças ao despojamento das raízes que se escondem mergulhando no profundo da terra. Se a semente não se deixa esconder na terra, se ela não se enterrar, não brota e não possibilita  a riqueza da colheita. A flor tem que renunciar à sua beleza para se tornar fruto.  

Espaço Informativo

1- Esta semana, a começar nesta segunda-feira (21), vai decorrer em São Luís, o Retiro Anual dos  Sacerdotes. Apesar dos afazeres quaresmais, um dos dois sacerdotes de Chapadinha deve ir participar.

2- Nos dias 25, 26 e 27 deste mês, portanto, na sexta, sábado e domingo vai decorrer na nossa Paróquia, a Assembleia Diocesana de Catequese. Vamos ter a honra de receber participantes de todas as paróquias da diocese de Brejo. Contamos com mais de 200 pessoas. Estará também presente o Senhor Bispo e, talvez, alguns sacerdotes. Desejamos que seja frutuosa esta assembleia e que todos se convençam da responsabilidade catequética que têm: catequistas, pais, famílias, comunidades, pastorais... A catequese é um processo, tem uma dinâmica que deve ser crescente no seguimento de Cristo. Se resumir-se só a uns encontros para fazer uma festa... tudo perdido. Desde já agradecemos a todos que hospedarem pessoas em sua casa e colaborarem para que esta Assembleia decorra bem.

3- A construção da Igreja de São Raimundo (bairro Corrente) continua em ritmo acelerado. Contamos começar a colocar a telha esta semana. A comunidade já combinou em oferecer um almoço aos trabalhadores no dia que se acabar de colocar a telha.

4- No bairro da Cruz, foi limpa uma lixeira que vizinhos fizeram atrás da capela, encostada à parede da capela e no terreno da Paróquia que, com as chuvas, ameaçava derrubar uma parede. Tivemos que pagar duas enormes caçambas de lixo. Também foram derrubadas duas árvores que estavam a prejudicar o telhado e, com as raízes, ameaçavam outro muro. Essas árvores foram plantadas não pela comunidade. No bairro Japão o lixo público limpa-se com uma pinça, aqui tem que ser com caçamba ou trator.

5- Neste fim de semana, vai haver encontros de catequese nas comunidades do interior. No sábado houve no Barro Branco (caminhos horríveis! – dizem os catequistas que lá foram de moto). No domingo vai haver em Barroca da Vaca e Mangabeira.

6- No próximo domingo, por causa da Assembleia Diocesana, não haverá encontros de Catequese.

7- Há quatro comunidades na cidade que não têm nenhuma sala de Catequese: Novo Castelo, Tigela, Pau Torto e Santo Antônio. Não estão esquecidas, mas as verbas que temos não permitem fazer mais do que estamos fazendo.

8- Vemos, com interesse e alegria, que as comunidades de São Antônio (está promovendo iniciativas para colocar o piso de lajota na capela) e de Santa Luzia (está promovendo um bingo para construir uma nova e maior igreja) se estão interessando por arranjar verbas além da ajuda que o dízimo vai dando.

9- O grupo de jovens que costuma trabalhar a representação da Paixão de Cristo na sexta-feira santa, este ano, por causa da chuva se está atrasando. Pensamos que não vai desanimar!

10- Esta semana foram visitadas as comunidades de Areal, Boa Vista e Tigela. Nestas comunidades são visitados os doentes, confissões todas as tardes e missa à noite ou à tarde.

.....................................................................................
In Vida Nova - Boletim Formativo e Informativo da Paróquia de Nsa. Sra. das Dores - Chapadinha-MA - Nº 14 - 20/Mar/2011 - Diretor: Pe. Manuel Neves.

ASSISTIR NÃO É PARTICIPAR!

ASSISTIR NÃO É PARTICIPAR
VIVER É MAIS QUE EXISTIR
Viver é mais que existir. Há quem exista sem sentir a alegria de viver. Ver é mais do que olhar. Podemos olhar um objeto e, de tão distraídos, nem nos apercebemos de suas características. Com muita facilidade nos habituamos a olhar sem ver. Saber é mais do que ser informado. Hoje em dia recebemos centenas de informações e continuamos sabendo pouco. 

Temos imensas redes de informação, inúmeros meios de comunicação social, desde a televisão até à roda de amigos. Mas falta-nos saber analisar esses acontecimentos, retirar deles a sua utilidade ou dificuldade para a nossa vida. Não somos armazém de informações. Não conseguimos guardar tudo que nos chega. Nem podemos deixar-nos arrastar pela enxurrada do que nos dizem. Temos que separar o que não nos presta e lançá-lo na lixeira do esquecimento e da destruição. E arquivar o que nos é útil na consciência e na vontade para o valorizar. Para isso, são necessários os critérios de juízo, as maneiras de aferir os acontecimentos. Devemos saber filtrar as notícias. Quem não tem critérios de análise navega ao sabor de todos os ventos que sopram. 

O excesso de informações, sem análise, é exagero difícil de superar. Pode destruir nossa estrutura de conhecimento, alienar-nos ou manipular nossa orientação de vida. Devemos exigir o que nos valoriza e procurar o que é favorável à nossa realização. O excesso de notícias é perigoso, mas a falta é pior. Isola-nos. E assistir não é participar. Em Chapadinha assistimos, mês após mês, às notícias federais e estaduais sobre verbas que vêm para o Município. Mas não sabemos onde elas são gastas. Há um segredo excessivo que ofende nosso direito de participar. Assim, por exemplo, sabemos que em Janeiro chegaram do Fundo de Participação, do FUNDEF e para a Saúde R$7,231.776,83 (sete milhões...!). Muito dinheiro!. Não sabemos onde isso foi gasto e devíamos saber, mesmo sem querer. E há muita gente que deseja saber. E fundamenta seu direito no art.165, capitulo IV, lei 1.041 de 23/XII/2006 do Plano Diretor Municipal que trata do Sistema de Informações Municipais. 

E a legislação brasileira, federal (Constituição Brasileira, art.165, itens I e II que trata da prestação de contas), estadual (Constituição do Maranhão) e municipal (Lei Orgânica do Município de Chapadinha) mandam que se publiquem as contas das Prefeituras para ajudar a população a participar e a se interessar pelo que é dela. Em Janeiro, segundo foi publicado num blog de Chapadinha, foram recebidos R$07.231.776,83. Você já sabia disso? E como foram gastos? Isso vamos nós querer saber, porque queremos participar e não só assistir.

NÃO HÁ DIA SEM LUZ. NÃO HÁ VIDA SEM CRUZ


Não há dia sem luz. Não há vida sem cruz. Envelhecer não é morrer. É trocar sonhos por saudades. É caminhar para a plenitude. Morrer não é acabar. É entrar na plenitude da vida. A haste alta do bambu torna-se assim resistente por causa dos nós. As dificuldades da vida dão-nos maturidade, tornam-nos mais fortes para enfrentar os problemas. Seguir Jesus não é sacrifício, mas exige sacrifícios. É glória, é realização, é alegria de plenitude. 

A cruz, lugar de suplício e morte tornou-se, com Cristo, sinal de vida e glória. Cruz em cada um de nós é sinal de renúncia a nós mesmo para Cristo ser tudo em nós. O seguimento de Jesus exige a negação de si mesmo (Mc. 8,34). Os nossos caminhos não são os Caminhos de Deus. Quem, em Cristo, perde a vida, conquista a verdadeira vida (Mt. 10,38; Mt. 16,24; Marc. 8,34; Luc. 9,23; Luc. 14,27) Paulo pregava Cristo e Cristo crucificado e a cruz de Cristo era o seu único motivo de glória (Gal.6,14), sentia-se crucificado para o mundo e o mundo para ele (Gal.6,14). Sem renúncia não há vida. Isto acontece nas pessoas e nas coisas. Para haver vida tem que haver transformação. E a transformação, para se dar, exige despojamento, morte, cruz. Vejamos alguns exemplos:

- O Sol tem que renunciar ao seu triunfante iluminar do dia para proporcionar a escuridão da noite e deixar as pessoas descansarem. É na escuridão e no silêncio da noite que nasce a beleza da madrugada. A escuridão tem que ser vencida pela luz do amanhecer. A beleza da árvore florida só é possível graças ao despojamento das raízes que se escondem mergulhando no profundo da terra. Se a semente não se deixar esconder na terra, se ela não se enterrar, não brota e não possibilita a riqueza da colheita. A flor tem que renunciar à sua beleza para se tornar fruto. Todo o fruto poderia dizer: eu sou filho da flor. Os alimentos têm que sair do belo arranjo das travessas para serem digeridos e, assimilados, se transformarem em sangue. A natureza sujeita-se ao poder cíclico das estações. Só vem a Primavera depois do despojamento do Inverno. A grandiosidade dos grandes rios só é possível graças à generosidade das pequenas fontes escondidas no arvoredo, nas encostas dos montes ou nos vales.. A água torna-se navegável e mais útil quando renuncia ao fragor belo das cataratas. Ninguém consegue chegar triunfante a uma meta se não tiver o esforço do percurso.

- Ninguém nasce para o seio da terra sem morrer ao seio da mãe. Ninguém nasce para o seio de Deus sem morrer ao seio da terra. Ao precisarmos de fazer uma grande compra temos que renunciar a coisas supérfluas e a pequenas coisas para poder adquirir aquela. Toda a preferência exige escolha. Toda a escolha exige renúncia. Sem cruz, sem despojamento, sem aceitar renunciar a nossos caprichos e paixões não há vida cristã.

O DIABO NÃO É BOBO! BOBO É QUEM ACREDITA NELE! SÓ CRISTO É SALVAÇÃO!




No passado domingo,  1º da Quaresma, recebemos a primeira lição da catequese batismal. As tentações de Jesus evidenciam nossa fragilidade de seres humanos. Somos tentados. Fazemos muita coisa de que nos arrependemos depois e deixamos de fazer algo do que devíamos. Duas coisas ficaram evidentes: 1º o diabo não é bobo. É espertalhão. Sabe ser gentil, abordar as pessoas com delicadeza, motivar ilusões impossíveis, propor aventuras estapafúrdias... Tentou Jesus e tenta-nos também a nós. Somos pessoas acariciadas, “beijadas” por Deus (sopro de vida!), mas com que facilidade caímos nas armadilhas do demônio! Como patos atirando-se à água! Tentados a usar Deus como moleque, para sermos aplaudidos...

E o diabo usa o texto bíblico, fora do contexto, por mero pretexto e xingando de nossa ignorância bíblica. Jesus soube mostrar que o Pai não é engenheiro químico ou mágico para transformar pedras em pão, nem é pára-quedas para nos proteger de saltos extravagantes, nem é brinquedo para nos satisfazer em nosso desejo de diversão vaidosa. E ainda o diabo “promete mundos e fundos”! Cuidado com a esperteza dele! Não nos transmite boa catequese! Engana-nos, sim, propondo-nos o consumismo, aliciando-nos com falsas ilusões, usando o engodo de querermos ser importantes, roubar o que é público para benefício próprio, servirmo-nos do corpo para vaidades e prazer.... 

Deus é Amor. Não é poder, dominação, exibição!. O verdadeiro Amor é oblativo, generoso, silencioso, responsável. Por isso hoje Jesus se mostra transfigurado no monte Tabor, pondo diante de nossos olhos Sua glória. Vai para a paixão, mas sairá vitorioso, assumindo a direita do Pai, arrastando consigo toda a humanidade. Como aos três Apóstolos, Jesus nos conduz a uma enorme intimidade: somos seres divinizados, filhos no Filho. A graça divina nos acolhe e engrandece. Somos, em Cristo, chamados a uma vida de santidade! A voz vinda do céu nos comunica essa certeza: “este é meu Filho muito amado, ouvi-O!” Temos que ouvir e seguir a Palavra de Jesus. Só ela é a Verdade única, o Caminho certo, a força capaz de nos dar a vida nova do Espírito...

quarta-feira, 16 de março de 2011

FALSAS MIRAGENS DO DESERTO

Deserto é lugar inóspito, inabitável,indesejável. É lugar de passagem.Traz a tentação de voltar atrás, de fugir da carência de tudo e de qualquer maneira. Deserto é lugar de tentação, de miragem: coloca perto o horizonte que nunca se alcança. Deserto é lugar de sofrimento e cira a urgência de sair dele. Na Bíblia, odeserto é mais um lugar simbólico que uma localização geográfica. Os evangelhos dizem que Jesus foi ao deserto, isto é, desceu à maior fragilidade humana, à situação de extrema pobreza. E aí foi tentado pelo diabo a servir-se de Deus, a fazer valer seu prestígio. Mas preferiu ficar servo obediente à vontade do Pai. Também sentiu necessidade de se agarrar aos bens da Terra para fugir a tanto sofrimento.Mas ficou pobre, apenas imensamente rico de Amor para salvar os homens. Também o visitou a tentação da glória, do orgulho, de mostrar seu poder. Mas preferiu o despojamento, a paixão, a cruz...que lhe deram a glória da Ressurreição. Quaresma é tempo de reflexão e de avivar nossa opção cristã. Temos que nos interrogar quais os valores que estão orientando nossa vida. Hoje o nosso mundo tem os mesmos valores de antigamente, só que a sua hierarquização é diferente. Prefere-se os valores mais fáceis , os descartáveis, os conseguidos com maior rapidez, embora menos duráveis.. Os universais, os que transmitem mais felicidade permanente...são esquecidos. A maior tragédia de hoje é que as pessoas expulsam de sua consciência a alegria de servir os outros, de buscar felicidade duradoura. Perdem a rota espiritual. Tornam-se atrevidos, abandonam convicções éticas fundamentadas em princípios religiosos para se agarrarem a bagatelas, a prazeres passageiros. Faltando o respeito pelo Absoluto, abre-se espaço para absolutizar tudo que é relativo. E aí se atola no lamaçal do relativismo em que se perde a coragem de lutar pelo bem, se ama mais o que agrada que o que se deve, aumenta a voragem, a ganância, a irresponsabilidade...tudo se esvai na satisfação individual...Quaresma é tempo de refletir sobre os valores que preferimos em nossa vida pessoal,econômica, familiar, social e política...Refletir e mudar de rota, se sentirmos que andamos perdidos por atalhos esquisitos.



CARTA DOS BISPOS DO MARANHÃO

Nos dias 12, 13 e 14 de Janeiro próximo passado, os senhores bispos do Maranhão estiveram reunidos em Carolina. Foram dias de partilha pastoral,de reflexão e de ouvir relatórios apresentados pelos diversos setores da Igreja. Seu olhar sobre a realidade suscitou sentimentos de compaixão visto que o nosso povo continua vivendo uma situação de sofrimento e abandono. Pareceu aos senhores bispos que o povo vive momentos de euforia e otimismo por causa de intensas expectativas vindas depromessas oficiais e de umcrescimento econômico generalizado. A Bolsa Familia, a energia rural, as aposentadorias e o crescente acesso ao consumo...estimulam esse otimismo. Na verdade, parece ter sido freada a extrema pobreza, e com ela, o êxodo rural. Mas por outro lado,nota-se um mau uso do dinheiro público e particular na compra de bens nãao de primeira necessidade. O desejo humano e legítimo de sair da dependência, da insegurança e do abandono a que sempre foi relegado o povo maranhense não devia desejar parecer o que não é e não se devia endividar. Na vida intra-eclesial, apesar das fraquezas, pecados e limitações, surgiram motivos de alegria, nas últimas décadas, por haver mais sacerdotes jovens e terem sido nomeados  cinco bispos no último ano. Os senhores bispos terminam dizendo: " sentimos que chegou a hora de não mais aceitar que se jogue com os sentimentos e as expectativas de nosso povo, vendendo-lhe promessas mirabolantes de que tudo, a partir de agora, vai melhorar. Estamos às vésperas da comemoração de 400 anos da chegada dos europeus a estas terras. É momento oportuno para se fazer um resgate histórico das formas de luta por liberdade, de resistência à escravidão, de testemunho de coerência de grupos sociais e de evangelizadores que têm marcado positivamente a história de nosso Estado. Esse resgate nos ajudará a fortalecer um projeto popular independente e soberano".  Os senhores bispos lamentam que a história do Brasil e do Maranhão tem sido marcada pela apropriação indevida, por pequenos grupos, mediante influências politicas e corrupção ativa daquilo que pertence a todos. " Esses pequenos grupos fazem do bem público um patrrimônio pessoal".  Por isso nosso povo, erradamente, também não estima o que é público. " Para inaugurar um novo momento histórico precisamos educar para um novo mais ético, com o bem comum. Sentimos que chegou a hora de se fazer uma radical inversão de prioridades e valores. Não podemos deixar que o Estado continue colocando sua estrutura a serviço quase exlusivo dos grandes exportadores de minério, de soja, , de sucos e carnes. "  A integridade humana dos cidadãos maranhenses merece mais respeito e cuidado. Preocupa o episcopado maranhense a redução do desenvolvimento só à sua dimensão econômica e que " empresários, quadrilhas de colarinho branco, setores do Estado e do Judiciário pisoteiem direitos básicos, transgridam normas ambientais".


segunda-feira, 14 de março de 2011




E s p a ç o I n f o r m a t i v o


 1 - Estamos em plena Quaresma. Mas na cidade, contra toda a tradição, há meninos devorados pela ganância da brincadeira, do ganho fácil... que continuam a incentivar ao carnaval da bebedeira. Fazendo este boletim, estamos escutando músicas de carnaval, chamando a continuar a brincadeira que devia ser substituída pela reflexão, infelizmente, tão necessária. Estou em Chapadinha há 34 anos e sei que a tradição desta terra é guardar respeito à quaresma. É um valor que devia ser respeitado. Para encher becos, praças e ruas de cheiro a urina já bastaram os dias de autêntico carnaval!

2 - Vimos uma faixa elogiando as mulheres que precisam de usar camisinha no carnaval. Mas não vimos nenhuma faixa a elogiar as mulheres mães que lutam para criar seus filhos, as mulheres esposas que respeitam o matrimônio ou levam com sacrifício o seu compromisso matrimonial, as mulheres trabalhadoras que ainda são discriminadas, as jovens honestas que estudam para qualificar seu futuro profissional. Estas sim que mereciam uma faixa de elogio. Ser mulher de qualquer jeito... isso é normal e banal.

3 - A Comunidade de São Raimundo (Bairro Corrente) realizou sua Feijoada com êxito. Foi muito concorrida e rendeu R$ 5.676,00, o suficiente para termos pago o piso de lajota no mesmo dia. A paróquia ainda teve que completar o preço dos 500 metros quadrados que foram comprados por R$ 6.500,00. Além de todo o esforço, temos que elogiar a maneira como a comunidade assumiu a responsabilidade de deixar o Centro melhor do que o encontrou. Tudo foi bem limpo, lixo arrumado, material usado todo entregue... Parabéns!

4- Começou a Catequese. Pedimos a todos, catequistas e famílias, que se interessem sumamente na educação cristã de jovens e crianças. Pedimos que não comece a haver faltas, o que leva os catequizandos a não mais freqüentarem.

5- A (nova) Igreja de São Raimundo vai esta semana começar a receber a madeira do telhado. São doze longas tesouras de 12 metros de comprimento e 175 metros de linhas que serão colocados. Rezemos para que nenhum acidente se registre.

6- A Campanha da Fraternidade deste ano que vai abrir na nossa Paróquia neste domingo tem muita atualidade. Perante tantas catástrofes que estão acontecendo, somos levados a interessarmo-nos, verdadeiramente, pela harmonia na natureza. Destruindo a Mãe Terra, destruímos a própria vida do ser humano. Em Chapadinha, vão começar a realizar-se grupos de reflexão nas casas e nas capelas. Pensamos que isso vão ter repercussão sobre o mau ambiente, o desprezo, a enorme lixeira que por aí vai. Só um caso: passem junto da nova Igreja de São Raimundo e vejam a terra arrastada pelas chuvas, as caçambas que lá estão de areia! E há pouco tempo tiramos três caçambas do mesmo material. Por tudo isso tivemos o centro alagado, cimento perdido e tudo molhado.

7- Dias para os catecúmenos que irão ser batizados na Páscoa receberem os Ritos Batismais: -1º Rito: 27 de Março, depois da missa das 10h.  
-2º Rito: 10 de Abril, também, depois da missa das 10h
Pedimos aos familiares que venham fazer a ficha dos batizando antes do 1º rito.
....................................................................................
In Vida Nova - Boletim Formativo e Informativo da Paróquia de Nsa. Sra. das Dores - Chapadinha-MA - Nº 10 - 13/Mar/2011 - Diretor: Pe. Manuel Neves

RESSUSCITAR COM CRISTO PARA UMA VIDA NOVA.


O silêncio é a fonte da palavra. A reflexão é o princípio da decisão.. A inércia é a base do movimento. A oração não é tempo inútil: é a raiz dum tempo novo. A Palavra de Deus não é letra morta. É projeto de um homem novo. A Quaresma não é só negação, penitência. É esforço de caminhada, é condição de conversão para chegar à meta que é Cristo.

1 - Quarenta dias choveu torrencialmente sobre a terra. (Gen.7,17) O dilúvio foi o princípio duma nova criação. A água era figura do Batismo. A arca figura da Igreja (IPed.3,21) Durante os quarenta dias da Quaresma revivamos as exigências do nosso batismo reencontrando-nos com a Igreja, fortalecendo a vida em comunidade, O Batismo sepulta-nos com Cristo para o pecado e faz-nos renascer com Ele para uma vida nova.

2 - Quarenta dias e quarenta noites permaneceu Moisés no alto do monte Sinai (Ex.24,18). Da intimidade com Deus nasceram a Lei e a Aliança. Durante os quarenta dias da Quaresma dialoguemos com Deus no silêncio e na oração. Reflitamos a Palavra de Deus que nos ajudará a atualizar nossa Aliança batismal com Deus e a assumir nossos compromissos com a Igreja e o mundo.

3 - O povo hebreu expiou as suas iniqüidades errando quarenta anos pelo deserto (Num.14,34). Durante os quarenta dias da Quaresma analisemos, com verdade, a nossa vida. Reconheçamos o nosso pecado individual e coletivo e avancemos na caminhada de conversão a Deus. Celebremos também a nossa reconciliação com Deus e com os irmãos numa Igreja santa e pecadora (Vaticano II, LG.8).

4 - Reconfortado com pão e água trazidos por um anjo, o profeta Elias ergueu-se de vez e caminhou 40 dias e 40 noites até ao alto do monte Horeb (IRs.19,8). Durante 40 dias lembremos a dimensão penitencial da vida cristã. Façamos exame de consciência e preparemo-nos para receber o sacramento da Penitência para nos alimentar com o Pão descido do céu (Jo.6,51) e o vinho novo que brotou do lado de Cristo (Jo.19,34). Na quinta feira santa celebremos a instituição da Eucaristia. Na sexta feira santa chegamos com Cristo ao alto do Calvário para, na Páscoa, nos erguer definitivamente e ressuscitar para uma vida nova com Cristo Ressuscitado.

5 - Quarenta dias e quarenta noites, jejuou Cristo sob a ação do Espírito. (Mt.4,1-11). Durante 40 dias na Quaresma renunciamos, pelo jejum, a alguns alimentos do corpo, para exercer, pela esmola e pela partilha, a caridade. Assim mortificamos o corpo, fortalecemos o espírito para prestarmos culto a Deus, vencer as idolatrias e a tentação do domínio. Com uma vida mais simples e laboriosa poderemos fugir da ostentação e, pela Palavra de Deus mais escutada e meditada, sujeitar nossos projetos à Vontade divina.

6 - Depois da Sua Paixão e Ressurreição, Jesus apareceu vivo a seus discípulos, ensinando-os a respeito do Reino de Deus e preparando-os para o anúncio do Evangelho em todo o mundo (At.1,3). Depois da Páscoa faremos experiência do Cristo Ressuscitado sendo no mundo novo sinais do Deus vivo (Vat. II -L.G.38) Celebraremos Sua presença na vida em comunidade, no exercício da Caridade, na escuta da Palavra e na celebração da Eucaristia. No Pentecostes celebraremos o coroamento das festas pascais e iremos comprometermo-nos a ser, no mundo, o que a alma é no corpo (Vat. II L.G.38).

CARTA DOS BISPOS DO MARANHÃO (resumo)

Nos dias 12,13 e 14 de janeiro do corrente ano, os senhores bispos do Maranhão estiveram reunidos em Carolina (distante 774 km de Chapadinha - pela BR 226). Foram dias de partilha pastoral, de reflexão e de ouvir relatórios apresentados pelos diversos setores da Igreja. Seu olhar sobre a realidade suscitou sentimentos de compaixão visto que o nosso povo continua vivendo uma situação de sofrimento e abandono. 

Pareceu aos senhores bispos que o povo vive momentos de euforia e otimismo por causa de intensas expectativas vindas de promessas oficiais e de um crescimento econômico generalizado. A bolsa família, a energia rural, as aposentadorias e o crescente acesso ao consumo... estimulam esse otimismo. Na verdade, parece ter sido freada a extrema pobreza e, com ela, o êxodo rural. Mas, por outro lado, nota-se um mau uso do dinheiro público e particular na compra de bens não de primeira necessidade. O desejo humano e legítimo de sair da dependência, da insegurança e do abandono a que sempre foi relegado o povo maranhense não devia desejar parecer o que não é e não se devia endividar. 

Na vida intra-eclesial, apesar das fraquezas, pecados e limitações, surgiram motivos de alegria, nas últimas décadas, por haver mais sacerdotes jovens e terem sido nomeados cinco bispos no último ano. Os senhores bispos terminam, dizendo: “sentimos que chegou a hora de não mais aceitar que se jogue com os sentimentos e as expectativas de nosso povo, vendendo-lhe promessas mirabolantes de que tudo, a partir de agora, vai melhorar. 

Estamos às vésperas da comemoração de 400 anos da chegada dos europeus a estas terras É momento oportuno para se fazer um resgate histórico das formas de luta por liberdade, de resistência à escravidão, de testemunho de coerência de grupos sociais e de evangelizadores que têm marcado, positivamente, a história de nosso Estado. Esse resgate nos ajudará a fortalecer um projeto popular independente e soberano” 

Os senhores bispos lamentam que a história do Brasil e do Maranhão tem sido marcada pela apropriação indevida, por pequenos grupos, mediante influências políticas e corrupção ativa, daquilo que pertence a todos. “Esses pequenos grupos fazem do bem público um patrimônio pessoal.” Por isso, nosso povo, erradamente, também não estima o que é público. “Para inaugurar um novo momento histórico precisamos educar para um novo trato mais ético, com o bem comum. 

Sentimos que chegou a hora de se fazer uma radical inversão de prioridades e valores. Não podemos deixar que o Estado continue colocando sua estrutura a serviço quase exclusivo dos grandes exportadores de minério, de soja, de sucos e carnes.” A integridade humana dos cidadãos maranhenses merece mais respeito e cuidado. 

Preocupa o episcopado maranhense a redução do desenvolvimento só à sua dimensão econômica e que “empresários, quadrilhas de colarinho branco, setores do Estado e do Judiciário pisoteiem direitos básicos, transgridam impunemente normas ambientais”.

Falsas Miragens do Deserto da Vida


Deserto é lugar inóspito, inabitável, indesejável. É lugar de passagem. Traz a tentação de voltar atrás, de fugir da carência de tudo e de qualquer maneira. Deserto é lugar de tentação, de miragem: coloca perto o horizonte que nunca se alcança. Deserto é lugar de sofrimento e cria a urgência de sair dele. 
Na Bíblia, o deserto é mais um lugar simbólico que uma localização geográfica. Os Evangelhos dizem que Jesus foi ao deserto, isto é, desceu à maior fragilidade humana, à situação de extrema pobreza. E aí foi tentado pelo diabo a servir-se de Deus, a fazer valer seu prestígio. Mas preferiu ficar servo obediente à vontade do Pai. Também sentiu necessidade de se agarrar aos bens da terra para fugir a tanto sofrimento. Mas ficou pobre, apenas imensamente rico de Amor para salvar os homens. Também O visitou a tentação da glória, do orgulho, de mostrar seu poder. Mas preferiu o despojamento, a paixão, a cruz... que lhe deram a glória da Ressurreição. 
Quaresma é tempo de reflexão e de avivar nossa opção cristã. Temos que nos interrogar quais os valores que estão orientando nossa vida. Hoje o nosso mundo tem os mesmos valores de antigamente, só que a sua hierarquização é diferente. Prefere-se os valores mais fáceis, os descartáveis, os conseguidos com mais rapidez, embora menos duráveis. Os universais, os que transmitem mais felicidade permanente... são esquecidos. 
A maior tragédia de hoje é que as pessoas expulsam de sua consciência a alegria de servir os outros, de buscar felicidade duradoura. Perdem a rota espiritual. Tornam-se atrevidos, abandonam convicções éticas fundamentadas em princípios religiosos para se agarrarem a bagatelas, a ninharias, a prazeres passageiros. Faltando o respeito pelo Absoluto, abre-se espaço para absolutizar tudo que é relativo. E aí se atola no lamaçal do relativismo em que se perde a coragem de lutar pelo bem, se troca o individual pelo comunitário, se ama mais o que agrada que o que se deve, aumenta a voragem, a ganância, a irresponsabilidade... tudo se esvai na satisfação individual... 
Quaresma é tempo de refletir sobre os valores que preferimos em nossa vida pessoal, econômica, familiar, social, política... Refletir e mudar de rota, se sentirmos que andamos perdidos por atalhos esquisitos.

quarta-feira, 9 de março de 2011

Quarta-feira de Cinzas ! Missa na Igreja Matriz acontece às 17h30


A liturgia de imposição das cinzas e missa de Quarta-Feira de Cinzas serão:  

# Matriz – 17.30hs
# Aparecida e Campo Velho – 20h; 
# Quinta-feira de Cinzas: Areal e Terras Duras - às 20h

Nas outras capelas a cerimónia será realizada na celebração dominical, salvo se as coordenações resolverem outra coisa.

"Com a imposição das cinzas, se inicia uma estação espiritual particularmente relevante para todo cristão que quer se preparar dignamente para viver o Mistério Pascal, quer dizer, a Paixão, Morte e Ressurreição do Senhor Jesus.

Este tempo vigoroso do Ano litúrgico se caracteriza pela mensagem bíblica que pode ser resumida em uma palavra: " matanoeiete", que quer dizer "Convertei-vos". Este imperativo é proposto à mente dos fiéis mediante o austero rito da imposição das cinzas, o qual, com as palavras "Convertei-vos e crede no Evangelho" e com a expressão "Lembra-te de que és pó e para o pó voltarás", convida a todos a refletir sobre o dever da conversão, recordando a inexorável caducidade e efêmera fragilidade da vida humana, sujeita à morte" (Blog da Paróquia de Sant'Ana - Coelho Neto-MA)

"A Quarta-feira de Cinzas na Igreja é um momento especial porque nos introduz precisamente no mistério quaresmal.


Uma das frases – no momentio da imposição das cinzas – serve de lembrete para nós: 'Lembra-te que do pó viestes e ao pó, hás de retornar.' A cinza quer demonstrar justamente isso; viemos do pó, viemos da cinza e voltaremos para lá, mas, precisamos estar com os nossos corações preparados, com a nossa alma preparada para Deus.


A Quarta-feira de Cinzas leva-nos a visualizar a Quaresma, exatamente para que busquemos a conversão, busquemos o Senhor. A liturgia do tempo quaresmal mostra-nos a esmola, a oração e o jejum como o princípios da Quaresma.


A própria Quarta-feira de Cinzas nos coloca dentro do mistério. É um tempo de muita conversão, de muita oração, de arrependimento, um tempo de voltarmos para Deus.


Eu gosto muito de um texto do livro das Crônicas que diz: “Se meu povo, sobre o qual foi invocado o meu nome, se humilhar, se procurar minha face para orar, se renunciar ao seu mau procedimento, escutarei do alto dos céus e sanarei sua terra” (II Cr 7, 14).


A Quaresma é tempo conversão, tempo de silêncio, de penitência, de jejum e de oração.


Eu, padre Roger, pergunto para Deus: “Senhor, que queres que eu faça”? - mesma pergunta de São Francisco diante do crucifixo. Mas, geralmente, a minha penitência é ofertar algo de que eu gosto muito para Deus neste tempo quaresmal. Você, que fuma, por exemplo, deixe de fazê-lo na Quaresma. Tenho certeza de que após esse tempo quaresmal Deus o libertará do vício do cigarro. Você, que bebe, não beba, permitindo que o próprio Deus o leve à conversão pela penitência que você está fazendo. Talvez você precise fazer penitência da língua, da fofoca. Escolha uma coisa concreta e não algo que, de tão abstrato, não vai levá-lo a nada. Faça penitência de novela, você que as assiste. Tem de ser algo que o leve à conversão.

O Espírito Santo o levará à penitência que você precisa fazer nesta Quaresma" (Padre Roger Luís - Comunidade Canção Nova).